Tagged: primaz RSS

  • SNIEAB 15:03 on 13/06/2010 Permalink | Responder
    Tags: , primaz,   

    Primaz da IEAB: por uma Igreja mais profética 

    Após a sua recondução ao primado da IEAB, mediante aclamação do plenário do XXXI Sínodo, D. Mauricio Andrade concedeu entrevista ao jornalista Dermi Azevedo que compôs o grupo de comunicação da Confelider e do Sínodo. Abaixo, a reprodução da entrevista:
    DA – Como analisa sua eleição?

    DM – Como um reconhecimento público da igreja renovando sua confiança e me desafiando novamente para assumir a tarefa de ser o seu pastor no próximo triênio.

    DA – Quais as bases da ação missionária da IEAB?

    DM – Em primeiro lugar, a compreensão cada vez maior, em favor de uma igreja inclusiva, porque o coração de Deus não tem fronteiras. A igreja precisa ser cada vez mais profética, em favor da transformação das estruturas injustas da sociedade.

    DA – Quais são as principais injustiças sociais do pais?

    DM – Uma das principais referem-se a injusta distribuição de rendas e ao monopólios da propriedade. Isto reforça a violência no campo e aumenta o numero de pessoas marginalizadas nas grandes cidades

    DA – Qual é a principal contribuição da IEAB nesse contexto?

    DM – Assumir um papel ético de denúncia, sendo solidária com as pessoas necessitadas.

    DA – Como vê o agravamento da violência ?

    DM – A violência é galopante. Os agentes do estado contribuem para acirrar a violência e  alguns integram e são coniventes até mesmo com grupos de extermínio. Nesse contexto, a igreja deve reafirmar os direitos que sustentam a pessoa humana.

    DA – E as ONGs, o que deve fazer ?

    DM – Colaborar coma s igrejas para que exerça sua função profética e se empenhe para que se descubra a verdade sobre todos os fatos da nossa historia

    Dom Mauricio é carioca da Tijuca nascido em 1692, cresceu em Recife e seu primeiro trabalho como clérigo ocorreu em Belém, durante seis anos, tendo participado da Fundação da Universidade Popular. Foi Secretario Geral da IEAB durante 10 anos. Participou de vários Fóruns Sociais Mundiais. Integra a Junta Diretiva do Conselho Latino-Americano de Igrejas – CLAI; É bispo da Diocese Anglicana de Brasília desde 2003. É casado com Sandra e pai de Lucas Thiago e Pedro.

    -

    Rev. Cônego Francisco de Assis da Silva

    Secretário Geral da IEAB

     
  • SNIEAB 15:54 on 10/06/2010 Permalink | Responder
    Tags: , primaz,   

    Primaz D. Mauricio é reconduzido à Primazia por aclamação 

    Numa histórica decisão – pela segunda vez na história da Igreja Episcopal Anglicana do Brasil – o plenário do Sínodo, composto por bispos, clérigos e clérigas, leigos e leigas, reconduziu por aclamação o Revmo D. Maurício Andrade para um novo mandato como Primaz.


    No sábado à tarde do dia 05 de junho, no plenário destinado a eleições para os cargos e comissões provinciais, os delegados sinodais elegeram os membros do Conselho Executivo para o próximo triênio e também o Bispo Primaz da Igreja. O processo foi tranqüilo e quase todas as indicações da Comissão responsável por oferecer nomes para as distintas funções provinciais foram aceitas. No momento da indicação para a função de Bispo Primaz, o nome de D. Maurício foi o único a ser indicado e foi secundado por vários sinodais. Não havendo outra candidatura, o Presidente da sessão de eleições, D. Jubal Pereira Neves indagou o plenário sobre a possibilidade de eleição por aclamação, no que foi atentido plenamente. Toda a delegação sinodal foi efusiva na manifestação de que D. Maurício fosse reconduzido a mais um mandato, como permite os Cânones da Igreja. Tal foi o clima de concórdia que com muita emoção se cantou o Gloria in Excelsis.
    Ao usar da palavra após a eleição, D. Mauricio agradeceu a confiança da Igreja e chamou os delegados e representantes da diocese Anglicana de Brasilia e ficarem ao lado dele para destacar que sua Primazia é exercida com o assentimento e contribuição efetiva da sua diocese. Conforme os Cânones da Igreja Episcopal Anglicana do Brasil estabelecem que só pode ser Bispo Primaz quem seja bispo diocesano.
    Ato contínuo, o plenário elegeu as demais comissões e cargos provinciais, incluindo entre eles a homologação do nome do Secretário Geral. Indicado pelo Primaz e referendado pelo plenário, o Revdo Cônego Francisco de Assis foi reconduzido para mais um mandato.
    Em entrevista ao jornalista Dermi Azevedo, quando perguntado como se sentia após a indicação, o bispo Primaz D. Mauricio respondeu: “desejo construir uma igreja cada vez mais inclusiva porque no coração
    de Deus não há lugar para fronteiras. Ela precisa ser cada vez mais profética, com vistas às transformação das estruturas injustas da sociedade”.

    -

    Rev Cônego Francisco de Assis da Silva

    Secretário Geral da IEAB

     
  • SNIEAB 12:07 on 07/06/2010 Permalink | Responder
    Tags: , primaz,   

    Carta Pastoral à XXXI Reunião do Sínodo Geral da Igreja Episcopal Anglicana do Brasil 

    Os bispos da IEAB emitiram carta pastoral aos delegados do Sínodo da Igreja reunida em Embu Guaçu- São Paulo/SP – 03 de junho de 2010. O texto na íntegra segue abaixo:

    “Não vos conformeis com as estruturas do sistema deste mundo, mas transformai-vos pela renovação profunda dos vossos sentimentos e pensamentos, a fim de discernir qual é a vontade de Deus: o que é bom, o que é agradável a Ele, o que é perfeito.” Romanos 12,2

    Ao Clero e a todo Povo da Igreja.

    Saudações.

    1. Nestes dias estamos vivenciando de modo muito particular o quanto é importante a experiência da história. É intensamente simbólico que a realização da Confelíder e do Sínodo se dê justamente na semana em que celebramos a vida das pessoas, pioneiras na missão da Igreja em nosso país há 120 anos atrás. Neste momento, estamos a celebrar a abertura do XXXI Assembléia Sinodal, e “Sínodo” quer dizer “caminhar em conjunto”, convergir na caminhada.

    2. Enquanto pastores da Igreja rogamos a Deus que nos mantenha nesse caminhar em conjunto como Igreja que celebra 200 anos da chegada das Capelanias Britânicas, 120 anos da presença de uma Igreja em missão junto ao povo brasileiro, e 25 anos da ordenação feminina.

    3. O Sínodo inicia no contexto da semana da Santíssima Trindade. A Trindade é o núcleo central do mistério cristão. Para nós não importa simplesmente que seja UM Deus. Importa, sobretudo confessar que o princípio último de todos as coisas não é solidão, mas COMUNHÃO. Na ponta extrema do Ser deparamo-nos com a relação entre diferenças eternas, irredutíveis que, no entanto, se harmonizam em plena unidade. Para nós, as relações são o dinamismo fundante da realidade.

    4. O Deus Trindade é o princípio e o modelo de toda a realidade. É por isso que somos pessoas, seres cujo nome e identidade se forma a partir e mediante relações. É por isso que se tem de renovar em nós a consciência e a responsabilidade da comunhão – pensemos na Igreja como Corpo do Filho, e de solidariedade – pensemos na compaixão por todos os seres do universo. A festa da Trindade é o mistério que dá inefável profundidade a nossa festa da família e da comunhão eclesial que deve transbordar em solidariedade universal.

    5. A dinâmica da vida é comunhão, individualismo, separação, é pecado e morte. O Sínodo é para avivar em nós, experimentar esse sentimento. A Confelíder nos convida a viver a Mística da Missão, nos chama a acostumar-nos com esse Deus para, assim, atuar em seu nome.

    6. Neste momento histórico da festa da Igreja, recordamos hoje em grata memória, o testemunho, a vida e a paixào missionária de Lucien Lee Kinsolving, que junto com James Watson Morris veio para o Brasil, e somos gratos a Deus pela vocação missionária do Seminário de Virginia. Recordamos a presença e serviço da diaconisa Marie Packard. Nesta semana damos graças a Deus por quem abriu os caminhos da missão na Igreja do Brasil. Por essas pessoas tivemos a geração em Cristo, como diria o Apóstolo.

    7. A Confelíder nos tem apontado rumos. Sentimos que Deus nos pede renovar a fidelidade as nossas raízes: reavivar o fervor missionário. TODO O POVO da Igreja deve ser chamado ao serviço de Deus, na variedade de dons e ministérios. Para isso, é preciso aprofundar sempre mais a espiritualidade, a mística da missão como participação na missão de Deus mesmo: voltar à Bíblia em nosso contexto de vida para assimilar sempre mãos, os critérios do Evangelho ate chegar “a carregar em nosso corpo as marcas de Jesus”(Gl 6,17).

    8.Temos de ser sempre mais um povo preparado para participar e fortalecer a vida comunitária e responder, em nome de Cristo, aos desafios da sociedade pela diaconia sociopolítica. Do mundo, da criação e da história, nos vem a interpelação no que “o Espírito diz à Igreja”.

    9. O texto de Romanos 12,2 deve ser nossa guia: “Não vos conformeis com as estruturas do sistema deste mundo, mas transformai-vos pela renovação profunda de vossos sentimentos e pensamentos, a fim de discernir qual é a vontade de Deus, o que é bom, o que é agradável a Ele o que é perfeito”.

    11. Quando nos lemos os escritos de São Paulo, muitas vezes podemos enumerar muitas controvérsias que tanto na Igreja como fora dela foram suscitadas em torno de sua figura. Porém, podemos reafirmar as palavras de Oscar Cullmann que o assinalou como o profeta dos últimos tempos. E sua vida ficou absorvida no compromisso da fé.

    12. Ao considerar o conjunto da vida do Apóstolo e suas cartas, parece-nos que sua experiência está vinculada à vivência determinante de assumir a fé como compromisso total, como projeção global da vida na qual se empenha até o último esforço. Ele organiza seu mundo a partir de um amor abarcador: que tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta.

    13. O grande Apóstolo, modelo de missionário, se manifesta em suas cartas como um homem apaixonado pelo que faz, que está entregue a sua missão, cujo alcance inclui a conversão de pessoas, passando pela edificação de comunidades até atingir a transformação de sociedade. É que para ele o limite é o mesmo da obra de Deus, a criação inteira, como vemos em Romanos 8, onde a obra da Salvação é a própria consumação do universo, e se revela em sua própria estratégia missionária. É um convicto do compromisso da fé, que o arrasta com força e determinação. De outro lado, é um homem consciente de seu mundo, dos problemas das pessoas, sensível às dificuldades que surgem da vivência da fé no meio de uma cultura idólatra, estranha, imperial, absorvente.

    14. É essa qualidade de compromisso da fé que nos é oferecida como chave interpretativa. E como tal precisa ser assumida como ponto de partida de nossa própria experiência de “transformação” e não de “conformação”.

    15. Se temos o encargo de anunciar e praticar na terra os valores do Reino dos Céus – dignidade, solidariedade, justiça e paz , o mundo a nosso redor nos desafia como provocação radical. Os mais recentes indicadores a respeito da evolução da pobreza global revelam uma crescente desconexão entre o que o mundo poderia ser e o que realmente é. Em grande medida, a maior fragilidade da governança global conduzida pelas nações ricas , durante as duas últimas décadas, tem apontado para maior polarização social entre riqueza e pobreza.

    16. Nunca dantes, desde 1929, uma crise financeira havia causado tantos danos à economia real, às pessoas trabalhadoras, às famílias e à sociedade em geral. A crise de 2008, que custou trilhões de dólares, tem deixado mais de 50 milhões de pessoas desempregadas ao redor do mundo.

    17. Aqui na cidade de São Paulo, onde agora mesmo se dá nossa reunião, pesquisas indicam que nos últimos 10 anos o número de pessoas morando nas ruas aumentou em 57%, esse número hoje representa mais de 13 mil pessoas morando nas ruas.

    18. Essa profunda e prolongada crise mundial do capitalismo, combinada com o retorno do ciclo conjuntural recessivo (desemprego, renúncia a impostos para estimular a produção…), aqui aberto desde setembro de 2008, conforma, em última instância, o pano de fundo da situação política nacional e a movimentação das classes sociais e dos partidos, definindo o rumo das eleições de 2010.

    19. Não podemos esquecer que já não nos é permitido falar de justiça social sem voltar a atenção para a gravidade da problemática que atinge o meio ambiente. O corpo das pessoas está gravemente ferido ( violência e degradação) também porque o “corpo”da Mãe Terra está à beira de entrar em agonia. Já não só a Igreja Cristã, mas a ciência nos chama à conversão: ou mudamos de atitude e de modo de vida, ou perecemos com a vida do planeta.

    20. A reação do povo indígena Kayapo à autoritária decisão de construir a Hidroelétrica de Belo Monte, no Rio Xingu, não deve ser para nós exemplo inspirador de crescente compromisso com a defesa do meio ambiente, defesa do equilíbrio vital da criação divina?

    21. A Missão é criadora, reconciliadora e transformadora , pois é ação de Deus, que flui da comunidade de amor, fundada na Trindade, revelada a toda a humanidade na pessoa de Jesus e confiada ao contínuo e fiel testemunho do povo de Deus pelo poder do Espírito Santo. (João 20,21-23)

    22. É urgente abrirmos nossa visão para o horizonte da missão transformadora e cantar um cântico novo, nossa vida inteira em adoração, nosso “corpo como sacrifício vivo” (Rm 12,1-2)
    Cantai ao Senhor um cântico novo;
    Cantai ao Senhor toda a terra;
    Cantai ao Senhor, louvai o seu nome;
    Falem da sua salvação dia a dia (Salmo 96,1-2)

    23. Acolher e Servir em amor é o horizonte em direção ao qual devemos caminhar, na peregrinação ao Monte do Senhor. Não são, porém, idéias que nos movem a agir, por mais lúcidas e belas que sejam. É por paixão que nos movemos: “O zelo pela tua casa me consome como fogo”, dizia Jesus (Jo 2,17)

    24. A Missão é escuta de uma voz que nos envia em Seu Nome (cf. Ex 3,7-10; Is 6,8). A tarefa é Evangelizar, mediante gestos e palavras, anunciar o julgamento de Deus sobre nós e esta sociedade de opressão, e proclamar a Boa Nova de que outro mundo é possível. O caminho, o método, é o Serviço (Diaconia), mediante o qual se revela e se exerce o explosivo poder da Cruz (cf. I Co 1,17-25). “O amor de Cristo nos arrasta com urgência”( II Co 5:14)

    25. O marco de direção está claro a nossa frente: Inclusividade, porque o coração de Deus não tem fronteiras; visão profética, porque Deus enxerga sempre para além do que já esta determinado; transformação, porque a Palavra de Deus é eficaz, plena de vida (Jo 1,1-5), por isso redentora e recriadora.

    22. Em meio às incertezas do presente século, temos na fé todas as razões de nossa esperança ( cf. I Pedro 3,15)

    Que Amor de Deus nos UNA;
    Que a Alegria de nos INSPIRE;
    Que a Paz de Deus nos ENVOLVA;
    Que a Coragem de Deus nos SUSTENTE.
    E que para isso desça sobre nós
    Bênção de Deus que é Pai, Filho e Espírito Santo, hoje e para sempre ““.

    ++ Mauricio, Primaz, Brasília
    + Jubal, Santa Maria
    + Orlando, Porto Alegre
    + Naudal, Curitiba
    + Sebastião, Recife
    + Filadelfo, Rio de Janeiro
    + Saulo, Belém
    +Renato, Pelotas
    + Roger, São Paulo

    + Clovis, Emérito

    + Almir. Emérito

    -

    Rev. Cônego Francisco de Assis da Silva

    Secretário Geral da IEAB

     
  • SNIEAB 17:01 on 15/03/2010 Permalink | Responder
    Tags: , paróquias, primaz   

    Matriz do Nazareno celebra seu centenário 

    Arte, festa, espiritualidade e memória constituiriam ingredientes das celebrações do Centenário da Matriz do Nazareno, na cidade de Santana do Livramento, Rio Grande do Sul. Uma intensa programação que começou na sexta-feira à noite e que terminou ontem com ofício ecucarístico de ação de graças. Além do povo da Matriz, estiveram presentes as missões do entorno, bem como o clero da região Sul da diocese Sul-Ocidental. Sob a coordenação do pároco, rev. Silvio Freitas, a Matriz recebeu com festa o bispo da diocese, d. Jubal Pereira Neves, o bispo sufragâneo da diocese companheira do Uruguai, d. Gilberto Porcal, o bispo Primaz da IEAB, d. Mauricio Andrade e o Secretario Geral rev. Francisco de Assis da Silva.

    A coordenadora do Serviço Anglicano de Diaconia, Sra. Sandra Andrade, também foi uma das convidadas e esteve visitando as iniciativas de ação social da região. Muitos depoimentos foram ouvidos durante os eventos celebrativos sempre destacando a presença e contribuição daquela comunidade anglicana para a vida da cidade da Santana do Livramento e para a IEAB como um todo. A presença de d. Gilberto Porcal foi um reconhecimento ao trabalho missionário daquela Paróquia para a implantação do trabalho de língua hispânica em Montevidéu, culminando com a criação da diocese do Uruguai. Outra forte contribuição daquela comunidade tem sido dada através da formação de gerações de santanenses pelo Instituto Livramento. No campo da ação social, existe hoje um reconhecimento público do Centro Social Anglicano no apoio à comunidade e especialmente à juventude com seus programas culturais e artísticos.

    Em seu sermão, o bispo Primaz  d. Maurício Andrade, exaltou o papel histórico da Matriz do Nazareno para a vida da IEAB e lembrou que muitas das lideranças daquela comunidade se tornaram depois grandes lideranças nacionais. Só a título de exemplo, lembrou que dos ex-párocos e membros daquela comunidade, seis se tornaram mais tarde bispos da Igreja. Ele conclamou os paroquianos a continuarem no caminho dos sonhos dos pioneiros e lembrou que a qualidade da fé e de sua implicação depende diretamente da capacidade de enxergar além das paredes.

    Ao usar da palavra, o secretário geral rev. Cônego Francisco de Assis agradeceu em nome do Primaz e da Provincia a calorosa acolhida recebida e lembrou que o testemunho daquela comunidade traz alegria e renova a fé e a esperança de toda a Igreja.

    O bispo diocesano d. Jubal lembrou com carinho o desafio da missão que aquela comunidade enfrentou ao se dispor enviar seus líderes para iniciar o trabalho anglicano com uruguaios em Montevidéu e hoje podem ver o fruto de uma diocese que testemunha a fé com vigor.

    Outro importante evento da história da Matriz do Nazareno foi ser o lugar da primeira ordenação feminina da IEAB há 25 anos atrás, quando a revda. Carmem Etel se tornou a primeira diácona da Igreja no Brasil.

    Um animado almoço, servido após a celebração eucarística,  encerrou o intenso programa na tarde de ontem. Mais fotos dos eventos e visita Primacial podem ser vistas a seguir:

    MSS
    MSS
    MSS
    MSS
    MSS
    MSS
    MSS
    MSS
    MSS
    MSS
    MSS
    MSS
    MSS
    MSS
    MSS
    MSS
    MSS
    MSS
    MSS
    MSS
    MSS
    MSS
    MSS
    MSS
    MSS
    MSS
    MSS
    MSS
    MSS
    MSS
    MSS
    MSS
    MSS
    MSS
    MSS
    MSS
    MSS
    MSS
    MSS
    MSS
    MSS
    MSS
    MSS
    MSS
    MSS
    MSS
    MSS
    MSS
    MSS
    MSS
    MSS
    MSS
    MSS
    MSS
    MSS

    -

    Rev. Cônego Francisco de Assis da Silva

    Secretário Geral da IEAB

     
  • SNIEAB 0:14 on 26/12/2009 Permalink | Responder
    Tags: , , primaz   

    Mensagem de Natal e Ano Novo do Bispo Primaz da IEAB 

    Experimentando a Fé, Coragem e a Alegria

    E aprendi que se depende sempre
    De tanta, muita, diferente gente
    Toda pessoa sempre é as marcas
    Das lições diárias de outras tantas pessoas
    Gonzaguinha.

    Cantai ao SENHOR um cântico novo
    Cantai ao SENHOR toda a terra.
    Salmo 96,1

    É Tempo de Natal, é tempo de celebrar, é tempo de recordar, é tempo de experimentar a fé, a coragem e a alegria de Maria, que vem para nós como Bem Aventurada, trazendo o mistério de Deus para nossa vida.
    É tempo de ouvir a voz do próprio Jesus que anuncia que o Espírito de Deus o confirma no anúncio da proximidade do Reino de Deus e da necessidade de construir as condições para que o Reino aconteça.

    Em meio ao cenário internacional e acompanhando o desfecho da Conferencia Climática de Copenhague, as novidades ficam por conta de coisas velhas. Aproxima-se um novo ano eleitoral. Apesar de tantas incoerências e surrealismo de nossos governantes, busquemos nos renovar na esperança do novo que nasce no Jesus Menino e nos envolve na coragem do Cristo libertador.

    É tempo de cantar o novo cântico, é tempo de viver a expressão do amor, é tempo de buscar paz para sorrir, é tempo de sentir a chuva que faz florir de novo nossas vidas.

    Neste Natal, no caminho de juntos continuarmos este cântico novo que Cristo tem colocado em nossa vida, convido a que possamos:

    Renovar a nossa esperança;
    Contemplar o belo, pois a beleza é a imagem visível de Deus;
    Endurecer “sem nunca perder a ternura”
    Experimentar a comunhão com Deus;
    Esperar o milagre da vida que se renova;
    Ouvir o som da flauta e dançar;
    Manter os sonhos;
    Experimentar o tempo de desfrutar da vida;
    Amar, apesar de nós mesmos;
    Cumprir a missão até o fim.

    Deus, que é para nós como Pai e Mãe, por sua misericórdia nos faça membros do seu Reino; Filho, vindo a nós em poder, revele entre nós a promessa de sua glória; Deus o Espírito, faça-nos firmes na fé, alegres na esperança e constantes no amor.

    Todas as bênçãos para vocês e suas famílias nesse Tempo que é de Luz. Um abençoado Natal.

    Brasília, 23 de dezembro de 2009 .

    Do Vosso Primaz,

    ++Maurício Andrade.

    -

    Revmo. Dom Maurício Andrade

    Bispo Primaz da IEAB

     
  • SNIEAB 14:14 on 16/12/2009 Permalink | Responder
    Tags: , , , primaz   

    IEAB emite documento contra homofobia em Uganda 

    “Clareza de mente significa igualmente clareza de paixão. Por causa disso uma grande e clara mente ama ardentemente distinguindo claramente aquilo que ama” (Blaise Pascal)

    A sociedade internacional tem ao longo de sua história conquistado novos estágios de consciência e liberdade e superado gradativamente diversas formas de exclusão de seres humanos por razões de raça, situação econômica, cultura, crença e sexualidade. Entendemos esse processo como decorrente do amor de Deus por toda a humanidade. A Igreja, como parte desse processo, tem a responsabilidade de defender corajosamente o avanço do respeito a todas as pessoas, baseado na lei do amor.
    Ela mesma no passado foi conivente com formas de discriminação e em muitos casos promoveu a exclusão de pessoas, revelando sua incapacidade de responder às demandas de seu tempo. O Espírito de Deus, no entanto, tem desafiado a Igreja a compreender que a ninguém é dado o direito de agir, ou consentir que se aja, em desfavor de qualquer pessoa. Nesse processo de gradativa iluminação espiritual, a Igreja tem conseguido integrar aqueles e aquelas que até em passado recente eram discriminados por sua cor, opinião, gênero e sexualidade.

    Expressamos, à luz do Evangelho , nosso profundo desacordo com as medidas legais que estão sendo estudadas em Uganda para oficializar uma inaceitável perseguição às pessoas homossexuais. Primeiramente, pelo fato de que essas medidas representam o retorno a uma época de barbárie e ignorância. É um recuo gravíssimo no campo dos direitos humanos, inaceitável em nosso tempo. E, em segundo lugar, porque a nenhum cristão é permitido perseguir ou mesmo ameaçar seus semelhantes por razões de divergência quanto à vivência de sua sexualidade. Divergir, é legítimo, perseguir, é abominável.

    A possível aprovação dessas medidas exige um claro e eloqüente testemunho contra a imposição de um estado policial e na defesa de que cada pessoa seja livre para viver plenamente sua condição pessoal, incluindo a sexualidade, dentro dos critérios do amor, do respeito mútuo e do compromisso com a vida. Em um mundo onde a pobreza e a fome matam mais que as guerras, a preocupação dos governos deve voltar-se para fomentar uma sociedade onde não haja pessoas excluídas por quaisquer razões. Leis que venham a promover discriminação e exclusão, inclusive por condição sexual, além de serem abomináveis por contrárias aos direitos humanos, só mascaram e não resolvem nem de longe os reais problemas que a sociedade ugandense necessita enfrentar.

    Concluímos este documento lembrando que o maior desejo de Deus é que vivamos em amor. Nossa fé nos diz que “não há judeu nem grego, não há escravo nem livre, não há homem nem mulher, pois todos sois um só em Jesus Cristo” (Gl 3, 28). A Lei já foi cumprida por Jesus e agora resta-nos manifestar a graça divina presente no mundo através de um amor ardente e compassivo por todos os seres humanos.

    “O Senhor ama o direito e a justiça. A Terra está cheia do seu infalível amor” (Salmo 33:5)

    -

    Revmo. Dom Maurício Andrade

    Bispo Primaz da IEAB

     
  • SNIEAB 6:32 on 15/11/2009 Permalink | Responder
    Tags: , primaz, visita   

    Bispo Primaz visita a Diocese Anglicana de Pelotas 

    Como parte das celebrações dos cem anos de construção do templo da Catedral do Redentor e dos vinte anos de criação da Diocese Anglicana de Pelotas, o Bispo Primaz D. Mauricio Andrade e sua esposa Sandra, estão visita à diocese desde ontem e até a segunda-feira. Acompanham o Primaz e esposa o Secretário Geral, reverendo Francisco de Assis e sua esposa Talita.

    A visita contempla uma intensa agenda que inclui visita a autoridades municipais, lideranças ecumênicas como o Pastor Sinodal Dietmar Teske e o bispo católico romano D. Jacinto Bergman e entrevistas em diversos órgãos de comunicação na cidade. Aliás, a visita tem sido amplamente divulgada e está em destaque nos jornais, rádios e televisões que atendem Pelotas e toda a região Sul do estado.

    DSC00232

    Na visita ao Sínodo Sul Riograndense, D. Maurício presenteou o Pastor Dietmar com um exemplar da publicação Nossa Fé – uma exposição contemporânea das afirmações dos Credos – e destacou a caminhada ecumênica das duas Igrejas no testemunho de justiça e compromisso com a vida.

    Na visita a D. Jacinto, além da entrega de um exemplar da mesma obra, D. Mauricio resgatou a caminhada da IEAB no diálogo com a Igreja Católica e a importância de continuarmos buscando caminhos de cooperação.

    Em cada uma dessas visitas percebeu-se a grande visibilidade que nossa Igreja tem nesta cidade que é um dos pólos regionais do estado do Rio Grande do Sul. A Catedral do Redentor é um dos cartões postais da cidade e os eventos que ele realiza tem recebido uma carinhosa atenção da sociedade pelotense. Um dos mais tocantes momentos da visita aconteceu ontem durante o almoço servido aos visitantes pela coordenação do Projeto AMAR, nas casa das Irmãs Farias, onde um grupo de crianças e adolescentes fez uma apresentação de música instrumental que incluiu entre outras, canções de Tom Jobim e de Beethoven. Todos ficamos emocionados em ver a transformação de vidas que o Projeto vem realizando através de atividade da capacitação e de descoberta de dons.

    DSC00241

    Na tarde deste sábado, as lideranças da pastoral da Juventude se reuniram com o bispo Primaz para apresentarem os trabalhos que desenvolvem na diocese e pudemos ver como a diocese tem uma diversidade de trabalhos que envolvem os jovens na vida da Igreja, tornando-os grandes motivadores tanto na vida cotidiana das comunidades como agentes de transformação da sociedade.

    Na noite de ontem, uma congregação de quase 200 pessoas se reuniu no templo da Paróquia do Divino Salvador, em Santa Helena, para a celebração de confirmação de doze jovens a adolescentes. D Mauricio foi o pregador da celebração e em sua fala lembrou a necessidade de não nos acomodarmos em nosso testemunho cristão, enfatizando que a transformação das vidas e do mundo depende da nossa capacidade de colocarmos nossos dons a serviço de Deus. Desafiou os confirmandos a refletirem sobre seus próprios dons e escolherem aquele que os farão membros ativos da Igreja e ajudarem a comunidade a cumprir com o seu papel no mundo.

    DSC00281

    A intensa programação terá continuidade até segunda-feira e estaremos mantendo nossos leitores informados dos principais eventos. Fica aqui a constatação do imenso carinho com que D. Renato e sua esposa Alice, bem como a liderança clerical e leiga da diocese, tem recebido os visitantes.

    -

    Rev. Cônego Francisco de Assis da Silva
    Secretário Geral da IEAB

    Rev. Cônego Francisco de Assis da Silva

    Secretário Geral da IEAB

     
  • SNIEAB 0:54 on 21/02/2007 Permalink | Responder
    Tags: , primaz   

    Secretário Geral Comenta Encontro dos Primazes 

    O Encontro dos Bispos Primazes da Comunhão Anglicana foi encerrado, antes de ontem, com um comunicado oficial, onde se resume todas as deliberações conjuntas tomadas durante os cinco dias de reunião.

    As principais áreas que mereceram atenção no Comunicado foram:

    Educação Teológica – Acolhida ao relatório do Grupo de Trabalho sobre Educação Teológica e a reafirmação da responsabilidades dos bispos de estimularem adequada educação teológica para seu clero e laicato.

    Objetivos do Milênio – Como parte da resposta da Igreja aos Objetivos do Milênio – proposta estimulada pela ONU para a superação da pobreza no mundo – os Primazes receberam informações sobre o trabalho da Comunhão Anglicana junto à ONU e expressaram apoio à iniciativa de se realizar uma Conferência no Próximo mês, na África do Sul, que discutirá o papel da Comunhão Anglicana no enfrentamento de temas cruciais como pobreza, desigualdade, meio-ambiente e superação do flagelo da HIV-AIDS.

    Hermenêutica – Os Primazes afirmaram a importãncia de se difundir por toda a Comunhão o estudo da hermenêutica, que deve se tornar uma prioridade no processo de preparação para Lambeth 2008 e adiante.

    Relatório de Windsor – Os Primazes reconheceram a importância do que foi produzido até agora e a repercussão do mesmo no diálogo dentro da Comunhão no tocante aos atos praticados pela Igreja Episcopal dos EUA (ECUSA) e do Canadá no tocante à questão da homossexualidade. Observaram que a despeito da postura da ECUA em responder positivamente ao Relatório, a ECUSA revela uma dubiedade no que tange ao tema da celebração de Bençãos para casamentos de homossexuais.

    ECUSA – Este foi o tópico que mereceu maior atenção dos Primazes, reunidos em Dar-es-Salaam. Diante das tensões causadas pela decisão de sagrar um bispo reconhecidamente homossexual e a autorização em algumas dioceses de Bençãos matrimoniais para uniões de pessoas de mesmo sexo, foi exigido que a ECUSA se pronuncie formalmente sobre essa matéria, conformando-se à Resolução 1.10 da Conferência de Lambeth de 1998. O prazo foi dado até 30 de setembro. As consequências, definidas no relatório como “sérias” mas sem especificar o que seja exatamente, seriam muito ameaçadoras à unidade da Comunhão.

    Convênio Anglicano – Os Primazes aprovaram um texto prévio do que seria considerado um Acordo, chamado de Convênio Anglicano. Este texto será amplamente discutido em todas as esferas da Comunhão, e será submetido às Províncias após seu processo de aperfeiçoamento e referendamento pela Conferência de Lambeth 2008 e posterior Conselho Consultivo Anglicano.

    Segundo muitos observadores, o Encontro refletiu as tensões que hoje são vividas dentro da Comunhão Anglicana. Tensões entre conservadores e progressistas, especialmente nos campos da hermenêutica bíblica e da sexualidade humana. Conforme muitas opiniões difundidas pelos diversos meios de comunicação bem como por blogs, essa ênfase nas questões relativas à sexualidade ocuparam em demasia a agenda, evitando assim uma fala mais veemente dos Primazes com realção a tantos temas que afligem o mundo, tais como pobreza, guerra e destruição do meio ambiente.

    Foto: Arcebispo de Cantuária, Dr. Rowan Williams, e a nova Observadora Anglicana na ONU, Sra. Hellen Wangusa, durante a Celebração Eucarística na Catedral de Zanzibar (ACNS Rosenthal)

    -

    Rev. Cônego Francisco de Assis da Silva

    Secretário Geral da IEAB

     
  • SNIEAB 0:59 on 15/02/2007 Permalink | Responder
    Tags: , primaz   

    Começa o Encontro dos Primazes na Tanzânia 

    A reunião dos primazes começou em meio às expectativas sobre os rumos da Comunhão Anglicana.

    A primeira atividade oficial foi um estudo bíblico, que ocorrerá a cada inicio de dia, reunindo todos os 34 Primazes presentes. Quatro primazes não compareceram à este encontro.

    As primeiras duas sessões de trabalho será dominadas pelo tema da resposta da ECUSA ao Documento de Windsor. Este documento foi resltado do trabalho da Comissão nomeada pelo Arcebispo de Cantuária a respeito do tema da unidade na Comunhão Anglicana e teve como ponto de partida a reação dos conservadores à sagração do Bispo Gene Robinson, nos EUA, e a autorização para casamento entre pessoas de mesmo sexo, no Canadá. O relatório teve ampla divulgação e praticamente todas as Provincias foram consultadas a respeito. A Convenção Geral da ECUSA, emitiu um parecer sobre o relatório acatando algumas de suas recomendações.

    Esta resposta, que continua sendo contestada pelas Províncias que desejam uma retratação integral da ECUSA, será analisado nestas sessões inciais do encontro dos Primazes.

    Nosso Bispo Primaz, em comunicação conosco, mandou mensagem relatando que o Encontro está correndo dentro de uma normalidade, apesar das muitas especulações da mídia.

    A presença da Bispa Presidente da ECUSA, Bispa Katharine Jefferts Schori, contestada por alguns Primazes está plenamente assegurada pelo Arcebispo de Cantuária, em razão de sua legitimidade como Primaz da Província dos Estados Unidos.

    Ontem foi realizada uma acolhida aos novos Primazes, 13 ao todo, incluindo nosso Primaz, Dom Mauricio Andrade, os quais discutiram questões relevantes como papel de um Primaz, problemas comuns enfrentados pelas Provincias tais como pobreza, HIV-AIDS, Meio Ambiente e o papel da Igreja nestas questões.

    A imprensa internacional tem dado grande destaque ao evento por causa das implicações que ele pode ter na vida Comunhão Anglicana.

    -

    Rev. Cônego Francisco de Assis da Silva

    Secretário Geral da IEAB

     
  • SNIEAB 1:02 on 13/02/2007 Permalink | Responder
    Tags: , primaz   

    Encontro dos Primazes 2007 

    De 14 a 19 de fevereiro, os primazes da Comunhão Anglicana estarão reunidos na Tanzânia, para mais uma edição do Encontro dos Primazes, o qual é presidido pelo Arcebispo de Cantuária, Dr. Rowan Williams.

    A Tanzânia é um país da África Oriental, com cerca de 35 milhões de habitantes. Cerca de 30% da população do país é cristã, com uma comunidade anglicana distribuída em 19 dioceses.

    O evento, que vem sendo realizado periodicamente desde 1978, é uma oportunidade de diálogo, oração e reflexões profundas sobre o status atual e as questões relacionadas com a vida da Comunhão Anglicana.

    Novos primazes serão recebidos por seus colegas e pelo Arcebispo de Cantuária, incluindo o nosso primaz, Dom Maurício Andrade, e a Bispa Katherine Jeffers Schiori, da Igreja Episcopal dos Estados Unidos, sobre a qual as atenções estão voltadas, pois será a primeira vez que o Encontro dos Primazes contará com uma presença feminina.

    Dentre os temas que dominarão a pauta do evento, destacamos os preparativos para a Conferência de Lambeth 2008; a resposta da Igreja Episcopal dos Estados Unidos ao Relatório de Windsor (o qual será novamente discutido, levando-se em consideração um recente relatório especial apresentado por um sub-comitê do Comitê Permanente do Conselho Consultivo Anglicano e dos Primazes), e serão ouvidos novos relatos coletados pelo Painel de Referência.

    No domingo, os primazes viajarão até Zanzibar para participarem de uma Solene Eucaristia na Catedral Anglicana, onde serão comemorados o Centenário do último escravo livre em Zanzibar e os 200 anos do fim da escravidão no Império Britânico.

    Ao final do Encontro, será emitida uma Declaração Oficial dos Primazes e está prevista a realização de uma coletiva de imprensa.

    Paralelamente ao Encontro dos Primazes, o Comitê Permanente do Conselho Consultivo Anglicano e dos Primazes estará realizando a sua reunião anual.

    Maiores informações podem ser obtidas no site da Comunhão Anglicana: http://www.anglicancommunion.org.

    -

    Rev. Cônego Francisco de Assis da Silva

    Secretário Geral da IEAB

     
c
escrever um novo post
j
próximo post/próximo comentário
k
post anterior/comentário anterior
r
responder
e
editar
o
mostrar/esconder comentários
t
topo
l
go to login
h
show/hide help
esc
cancelar