Posts Mentioning RSS Toggle Comment Threads | Atalhos de teclado

  • SNIEAB 18:46 on 29/04/2019 Permalink | Responder
    Tags: Bispa Meriglei, , Episcopado Feminino,   

    Igreja Episcopal Anglicana do Brasil tem nova bispa! 


    A Revda. Meriglei Borges Simin, foi eleita Bispa Coadjutora da Diocese Anglicana de Pelotas – DAP. A eleição aconteceu na Catedral do Redentor, no dia 27 de abril, em concílio extraordinário, presidido pelo Bispo Francisco de Assis da Silva, da Diocese Sul-Ocidental, de Santa Maria/RS que atendeu ao convite do Bispo Renato da Cruz Raatz, Diocesano da Diocese Anglicana de Pelotas.

    Meriglei, 51 anos, natural de Canguçu/RS, atualmente exerce seu pastorado na Diocese Anglicana do Rio de Janeiro, na Paróquia São João Batista, em Nova Lima/MG. É casada e tem três filhos.

    Foi eleita no primeiro escrutínio com 6 votos do clero e 42 votos do laicato. Meriglei tornou-se a segunda mulher bispa da Igreja Episcopal Anglicana do Brasil. A primeira é Marinez Rosa dos Santos Bassotto, Bispa da Diocese Anglicana da Amazônia.

    Segundo os cânones da Igreja Episcopal Anglicana do Brasil, a eleição precisa ainda ser referendada pela maioria da Câmara Episcopal, constituída por 7 bispos e uma bispa e pela maioria dos Conselhos Diocesanos das 9 dioceses. Cumpridas as normas canônicas acontece a cerimônia de sagração episcopal, que está prevista para o dia 17 de novembro.

    Texto: Diocese Anglicana de Pelotas – DAP

     
  • SNIEAB 17:58 on 29/04/2019 Permalink | Responder
    Tags: ACC 17,   

    IEAB é representada no Anglican Consultative Council (ACC 17) 



    Dia 28/04 teve início o “The Anglican Consultative Council (ACC 17)”, que este ano está sendo em Hong Kong. Eu e a Revda. Inamar estivemos representado a Igreja Episcopal Anglicana do Brasil nesse encontro. Depois de dois dias de viagem, tivemos uma agenda intensa, com boas partilhas e muitas aprendizagens.

    No segundo dia (29/04), tivemos a apresentação de vários relatórios, entre eles: da secretaria geral,  ACC Strategic Plan; da “Women on the Front Line”; do “Thy Kingdom Come”, além de orientações sobre resoluções e eleições.


    Também houve a fala de varias representações  ecumênicas. Todos os dias há celebração eucarística e estudos bíblicos. O tema dos estudos bíblicos é o Caminho de Emaús e está sendo conduzido pelos irmãos e irmãs franciscanas.

    Texto e Fotos:

    Revda. Inamar de Souza (DARJ) e Sra. Anna Luiza Oliveira (DAR)


     
  • SNIEAB 18:56 on 20/04/2019 Permalink | Responder
    Tags: , Páscoa 2019,   

    Palavra do Primaz: Festa da Ressurreição 

    “Amem-se uns aos outros, assim como eu amei a vocês.” (São João 15.12)

    Irmãos e irmãs e pessoas amigas da Igreja Episcopal Anglicana do Brasil, vivemos novamente a Festa da Ressurreição, tempo oportuno para celebrar a vida com alegria e partilha. Para celebrar e renovar a fé, a esperança e o amor.  Para isso, liturgias especiais são preparadas nas nossas comunidades. Também as famílias se encontram e partilham a alegria e a vida.

    Jesus está vivo no meio de nós e isso tem um grande significado. Significado para a vida das pessoas e para a vida do mundo.

    Na instituição da Santa Ceia, Jesus entrega o pão e o vinho abençoados e consagrados as pessoas que o cercavam dizendo: “sempre que vocês fizerem isso, eu estarei com vocês”. E, nesse contexto da ceia, Jesus também ensina um novo mandamento: “amem-se uns aos outros, assim como eu amei a vocês”.

    Na Primeira Carta de João, no seu capítulo 4, versículo 16, o autor nos ensina: “Deus é amor, quem permanece no amor, permanece em Deus, e Deus permanece nele”.

    Diante desses ensinamentos bíblicos, fica o convite para os cristãos episcopais anglicanos e a todas as pessoas de boa vontade para que respondamos a pergunta: “Como as pessoas saberão que Cristo está vivo no meio de nós? Se há tantos sinais de escuridão e morte?”

    A experiência da Páscoa – da passagem – conforme o Primeiro Testamento, significou para o povo de Deus inicio do processo, da caminhada de libertação, da escravidão egípcia à terra prometida. Jesus celebrou isso com seu povo. Para nós cristãos a Páscoa é a vitória de Jesus sobre a morte. A passagem de Jesus, da morte para a vida. A vitória da vida.

    Que significado tem isso para nós hoje? Muitas vezes a experiência da Páscoa se limita a liturgia da igreja num dia especial, mas a vida, morte e ressurreição de Jesus se dá num momento histórico, num contexto de opressão, de fome, miséria. Deus envia seu Filho para resgatar, para salvar, a sua criação amada.

    Nosso compromisso de fé no Cristo que vive no meio de nós deve ser proclamado e experimentado no contexto em que vivemos. Isso se dará nos gestos de amor que pudermos expressar. Quando amamos, estamos em Deus e Deus está em nós. Quando amamos, cumprimos o novo mandamento de Jesus.

    Como saberão os milhões de desempregados que Deus os ama e que Jesus está vivo em seu meio? Como saberão os povos nativos da terra que Deus os ama e que Cristo está vivo no meio de nós? Como saberão as famílias dos jovens negros exterminados que Deus é amor e que Jesus ressuscitou e está vivo no meio de nós?

    Precisamos entender que a Ressurreição de Jesus é a vitória dele sobre a morte e as trevas. Sua ressurreição é a vitória do seu projeto, do projeto de Deus e seu Reino sobre o projeto deste mundo. É a vitória do projeto de amor, solidariedade, acolhida, paz, justiça sobre o projeto da exclusão, do acúmulo, da violência, da exploração e da injustiça.

    Creio firmemente que festejar a Páscoa do Senhor Jesus e viver a experiência de “estar em Deus, porque Deus é amor” deve, necessariamente, ter consequências no nosso agir que, alimentado pelo sacramento, pela palavra, pela liturgia, nos leve a ser presença desse Deus ressuscitado, presente no meio de nós.

    Que o Senhor Ressuscitado seja verdadeiramente anunciado e vivido em todos os lugares e em nossos contextos. Que as pessoas o sintam em seus corações e vidas e nas suas lutas por libertação e vida digna.

    Com minhas orações e bênção,

    +Naudal

     
  • SNIEAB 12:33 on 10/04/2019 Permalink | Responder
    Tags: , , , Mark, Trinity Wall Street   

    Diocese Sul-Ocidental em festa! 

    Neste último final de semana, a Diocese Sul-Ocidental teve a oportunidade de vivenciar momentos muito especiais. Durante a sexta e o sábado aconteceu a ENCLERO Diocesana, abençoado momento de partilha da Espiritualidade Celta, com a assessoria do Revdo Eduardo Henrique da Diocese Anglicana do Recife. Este momento já foi parte de um companheirismo que está sendo desenhado entre as duas dioceses.
    Na oportunidade da celebração de encerramento da ENCLERO, domingo (07), além de agradecer pela reflexão que o Revdo Eduardo proporcionou, e celebrar Ações de Graça pelo 8º Ano de Sagração do Bispo Francisco de Assis da Silva, ocorreu a Instituição do Reverendo Dr. Mark Francisco Bozzuti-Jones como Cônego Honorário da Catedral do Mediador. O Revdo. Mark é clérigo da Trinity Church Wall Street, dos Estados Unidos, onde também é Diretor de Valores Essenciais e das Relações com América Latina e Caribe. Ele esteve em Santa Maria/RS acompanhado de sua esposa, Kathy Bozzuti-Jones e seu filho Mark Anthony, onde tiveram a oportunidade de conviver um pouco com o clero e com a equipe do escritório diocesano.

    Estava prevista a participação na celebração do Bispo João Câncio Peixoto, da Diocese Anglicana do Recife, mas por recomendações médicas ele não pode estar presente. Sua visita a Santa Maria/RS seria, também, para oficializar o companheirismo das dioceses, o que deverá acontecer em um momento próximo, assim que sua saúde estiver plenamente restabelecida.




    Texto:
    Jonas Brasil
    Secretário do Bispado – DSO
    Fotos:
    Jonas Brasil
    Kathy Bozzuti-Jones
    Bispo Francisco de Assis da Silva

     
  • SNIEAB 10:11 on 05/04/2019 Permalink | Responder
    Tags: ,   

    Mensagem Pastoral da Câmara Episcopal sobre processos de eleição ao episcopado na IEAB 


    Festa da Anunciação de Nosso Senhor Jesus Cristo à Bem Aventurada Virgem Maria

    Do qual todo o corpo, bem ajustado, e ligado pelo auxílio de todas as juntas, segundo a justa operação de cada parte, faz o aumento do corpo, para sua edificação em amor. (Efésios 4.16)

    Estamos vivendo um momento muito significativo na vida de nossa Igreja quando três dioceses iniciaram processos de discernimento e eleição de novas pessoas para o exercício deste ministério especial da supervisão pastoral de dioceses e da colegialidade pastoral que será vivida em comunhão na Câmara Episcopal.

    Sabemos o quanto esses processos motivam as comunidades diocesanas, seu clero e laicato na construção de procedimentos com ampla participação, que buscam contemplar a ética, a transparência e o amor ao qual Cristo nos chama a viver em nosso dia a dia.

    Nos dirigimos aos irmãos e irmãs das dioceses Anglicanas de Pelotas, Paraná e São Paulo para expressar nosso carinho e nosso acompanhamento espiritual e pastoral nestes processos. Reforçamos a natureza do ministério episcopal é notadamente para toda a Igreja e de serviço à Igreja e não uma instância de poder.

    Cada vez mais, na Comunhão Anglicana, e nas nossas dioceses, temos experimentado um aperfeiçoamento dos processos de discernimento em eleições episcopais, sendo estes cada vez mais transparentes e amplamente conectados com sua dimensão provincial, afirmando o sentido de que um bispo ou bispa é eleito/a como tal para a Comunhão Anglicana dentro da Igreja Católica de Cristo.

    Por isso é importante que sejam processos que permitam que as dioceses conheçam de antemão as pessoas que se oferecem para este serviço tão especial. Com isso, se oferecem as condições para conhecer, dialogar e se formar uma impressão sobre as alternativas colocadas para a escolha do povo e do clero.

    Embora os Cânones Gerais da IEAB, não proibam que alguma nova candidatura seja apresentada na reunião conciliar eletiva, este fato deslegitima os processos de transparência, participação e corresponsabilidade do clero e laicato em cada diocese.

    Reiteramos o respeito a autonomia de cada diocese, às suas comissões canônicas (cf.Art. 110 dos Cânones Gerais), assim como ao ato de eleição, lembrando que essa autonomia deve estar conectada com a aprovação de toda a IEAB através de dois terços dos Conselhos e Bispos/as Diocesanos/as.

    Convidamos ao povo e clero da IEAB para que orem pelas dioceses em processo de discernimento para escolha de seu bispo/a coadjutor/a, rogando que o Santo Espírito de Deus, nosso Pai e Mãe, inspire, de sabedoria e acompanhe a todas e todos. Certamente essa presença divina conduzirá a todas as pessoas numa atitude de diálogo, respeito ao diferente, acolhida e amor fraternal, que são dons que devem ser assumidos por nós na caminhada diária da vida e testemunho Igreja.

    Com nossas orações e bênçãos,

    Câmara Episcopal

    Bispo Naudal Alves Gomes, Diocese Anglicana do Paraná e Primaz

    Bispo Maurício Andrade, Diocese Anglicana de Brasília

    Bispo Renato Raazt. Diocese Anglicana de Pelotas

    Bispo Francisco de Assis da Silva , Diocese Sul- Ocidental

    Bispo Humberto Maiztegui , Diocese Meridional

    Bispo João Câncio Peixoto, Diocese Anglicana de Recife

    Bispo Eduardo Coelho Grillo, Diocese Anglicana do Rio de Janeiro

    Bispa Marinez Rosa dos Santos Bassotto, Diocese Anglicana da Amazônia

    Porto Alegre, 25 de março de 2019.

     
c
escrever um novo post
j
próximo post/próximo comentário
k
post anterior/comentário anterior
r
responder
e
editar
o
mostrar/esconder comentários
t
topo
l
go to login
h
show/hide help
esc
cancelar