Posts Mentioning RSS Toggle Comment Threads | Atalhos de teclado

  • SNIEAB 17:54 on 15/10/2018 Permalink | Responder
    Tags: , ,   

    PRONUNCIAMENTO DA CÂMARA EPISCOPAL NO MOMENTO HISTÓRICO BRASILEIRO DIANTE DO SEGUNDO TURNO DAS ELEIÇÕES 

    Não há medo no amor,

    Ao contrário: o perfeito amor lança fora todo o medo (1Jo 4:18ª)

    Ai de mim se eu não anunciar boas notícias” (1Cor 9:16). A Câmara Episcopal da Igreja Episcopal Anglicana do Brasil vem a público conclamar as pessoas que participam de nossa igreja e a sociedade brasileira para uma séria reflexão sobre o segundo turno das eleições presidenciais e para governadores e governadoras nos estados. Vivemos um momento em que comportamentos agressivos, intolerantes e a disseminação de notícias falsas por si só violam frontalmente princípios de fé inegociáveis. Seguidores e seguidoras de Jesus não podem ignorar o quanto, nosso Senhor Jesus Cristo, exaltou quem é mansa, as pacificadoras, as pessoas perseguidas por causa da justiça (Mt 5.9). Pois, a verdadeira religião é a prática do amor, amar a bondade e a prática do direito e da justiça para todas as pessoas (cf Jr 9.23; Mq 6.8; Tg 1.9).

    A questão não é que haja conflito na sociedade. Todas as sociedades humanas, em todos os tempos e lugares, convivem com o conflito. Ele expressa, em termos elementares, o inconformismo com a injustiça, a violação de direitos, a opressão econômica, a discriminação. O que nos preocupa como pastores e pastoras é a incitação ao mesmo pela negação ao debate e ao diálogo, pelo ódio a quem pensa diferente e pelo uso da mentira como arma para demonizar pessoas e projetos.

    A Igreja Episcopal Anglicana do Brasil faz parte da Comunhão Anglicana presente em mais de 150 países do mundo e que, através de seus documentos de reflexão teológica e de posicionamentos públicos, tem se colocado sem reservas ao lado dos direitos humanos e do respeito a instituições públicas que os assegurem, por meio de ações concretas de promoção da justiça e da paz. É uma comunhão de igrejas que respeita e mesmo acolhe o dissenso, a pluralidade de visões sobre a fé e as opções sociais e políticas de seus membros. É uma igreja que se esforça por construir um caminho de acolhimento, de convivência plural pacífica, em meio às diferenças doutrinárias, éticas e de condição social de todas as pessoas. Preocupa-nos quando irmãos e irmãs de nossa igreja se fecham ao chamado que lhe faz sua própria tradição de fé ao discernimento sério do caminho a seguir.

    Não podemos concordar com o uso de linguagem que agride, xinga, mente e desrespeita como caminho para o enfrentamento das diferenças políticas e ideológicas; que glorifica e incita a violência como caminho para a solução de problemas sociais, políticos ou econômicos; que expressa claro descompromisso com padrões mundialmente aceitos de proteção social e garantia de direitos dos pobres, das mulheres e das minorias. O momento que vivemos em nosso país demanda de nós que saibamos reconhecer a árvore pelos seus frutos, que não esqueçamos, num país de maioria cristã, as consequências de manifestarem o que creem ser o legado da tradição ou a verdade bíblica, de que sem conhecimento o povo cai e é desencaminhado, sem lideranças sábias e justas a desagregação e a destruição do futuro sobrevêm, sem a verdade não há como construir a paz e a justiça almejadas.

    Reconhecemos que as igrejas e a sociedade brasileira estão divididas, mas apelamos ao discernimento, através da reflexão e oração, com vistas à convivência harmônica das grandes maiorias e respeitando as minorias, com vistas à construção de políticas públicas que enfrentem os problemas brasileiros em clima de absoluto e incondicional respeito às instituições democráticas. Avaliar seriamente programas, não minimizar ou ignorar os sinais que nos chegam de todos os lados – das pessoas agredidas por causa de sua forma de ser ou de pensar, da opinião pública internacional alarmada com os rumos do Brasil, dos intelectuais e ativistas sociais que estudam a fundo nossa realidade e atuam no dia-a-dia das comunidades e nas redes nacionais e internacionais de ação social e de lideranças religiosas que nos admoestam que, tendo Jesus como modelo, precisamos de palavras e ações que produzam solidariedade, curem, cuidem e transformem para o bem comum.

    Aos cristãos e cristãs deste país, desafiamos a que leiam de forma profunda e em oração a sua Bíblia, confrontando as mensagens que claramente se opõem ao Evangelho de Jesus, evitando usar o nome de Deus em vão, sacralizando propostas anticristãs e antidemocráticas ou julgando sumariamente como se fossem Deus. Da escolha que vamos fazer neste momento estarão em jogo muito mais do que os próximos quatro anos de um governo. Todos os sinais apontam para o incremento da violência e a discriminação gerando grave risco à liberdade, à justiça e à paz. Que façamos nossa escolha guiadas/os por essas três referências. Só assim dignificaremos nossa identidade anglicana e cristã, só assim provaremos nossos compromissos democráticos. Oremos juntos/as o Salmo 146 (145).

    Curitiba,15 de Outubro de 2018

    Bispo Naudal Alves Gomes – Diocese Anglicana do Paraná – Primaz da IEAB

    Bispo Maurício Andrade – Diocese Anglicana de Brasília

    Bispo Renato Raatz – Diocese Anglicana de Pelotas

    Bispo Francisco de Assis da Silva – Diocese Sul Ocidental

    Bispo João Câncio Peixoto – Diocese Anglicana do Recife

    Bispo Humberto Maiztegui – Diocese Meridional

    Bispo Eduardo Coelho Grillo – Diocese Anglicana do Rio de Janeiro

    Bispa Marinez Rosa dos Santos Bassotto – Diocese Anglicana da Amazônia

    Bispo Clovis Erly Rodrigues – Emérito

    Bispo Almir dos Santos – Emérito

    Bispo Celso de Oliveira Franco – Emérito

    Bispo Jubal Pereira Neves – Emérito

    Bispo Orlando Santos de Oliveira – Emérito

    Bispo Filadelfo Oliveira Neto – Emérito

    Bispo Saulo de Barros – Emérito

     
  • SNIEAB 10:50 on 08/10/2018 Permalink | Responder
    Tags: , Educação Teológica, ,   

    Encontro Latino-Americano e Caribenho sobre Educação Teológica 

    Entre os dias 1º e 6 de outubro a CETALC (Comissão de Educação Teológica para a América Latina e o Caribe), um organismo de províncias da Comunhão Anglicana, realizou o Segundo Encentro de Diretores (as) de Seminários e Centros Teológicos e Bispos e Bispas na Cidade de Panamá. O encontro abordou o tema “Educação Teológica e Efetividade Ministerial: Aportes da América Latina e Caribe.

    A conferência de abertura com o tema geral do encontro foi com o Reverendo Carmelo Álvarez. Reverendo Pedro Triana também deu uma conferência sobre a experiência da Igreja Episcopal Anglicana do Brasil, através do CEA (Centro de Estudos Anglicanos) com o uso das redes sociais na educação teológica, especialmente o curso de Imersão ao Anglicanismo através da plataforma Moodle. E na mesma linha, o Reverendo Canónigo Anthony falou sobre a experiência do Ministério Latino nos EUA e a Drª. Nidia Fonseca apresentou experiências da Universidade Bíblica Latino-americana.


    O presidente da CETALC, bispo Julio César Holguín, apresentou resgate histórico sobre a contribuição da CETALC para a educação teológica na região. E a parte de formação foi concluída com oficina sobre o uso prático das redes sociais como apoio na educação teológica, pelo Reverendo Edgar Giraldo.

    O Comitê organizador destacou a beleza e a animação das liturgias brasileiras, como uma boa contribuição da IEAB nos momentos místicos e devocionais.

    A celebração de encerramento foi presidida pela bispa brasileira, Marinez dos Santos Bassotto, sendo concelebrada pelas clérigas da América Latina e Caribe.


    Entre conferências e oficinas que focaram na temática do encontro, também teve encaminhamentos práticos sobre as relações da CETALC com as províncias e dioceses. Mas, uma grande parte do tempo foi tomada com análises, diálogos e proposições para a construção de um currículo, com parâmetros, plano de estudos em comum para a educação teológica nas dioceses episcopais anglicanas da América Latina e Caribe.

    Este trabalho foi encaminhado a partir de um texto base com propostas que foram construídas desde o primeiro encontro de diretores e diretoras de seminários da CETALC, em 2016. O texto utilizado para o trabalho deste encontro contempla uma ampla consulta em todos os currículos de cursos de teologia nas dioceses episcopais anglicanas da região. O plano de estudos (Pensum) foi trabalhado por províncias e grupos temáticos. Após debates em pequenos grupos e atividades em plenário, a equipe de trabalho do “Pensum Homologado” reuniu todas as novas propostas para uma reformulação final.

    Este plano de estudos servirá como parâmetros para a educação teológica nas dioceses e províncias episcopais anglicanas presentes na América Latina e no Caribe. Cada curso de teologia em seminários ou centros de estudos organizará seu currículo com base neste plano comum com sua proposta de visão, missão e valores para qualificar a educação teológica no continente. Na estrutura do plano estão contemplados os eixos que delineiam o programa: saber ser, saber conhecer, saber fazer e saber conviver. As áreas de estudo estão relacionadas aos valores que orientam seus objetivos específicos.

    Acreditamos que, desta forma, a CETALC cumpre o papel de ser uma comissão de alcance continental, comprometida com as necessidades e desafios da educação teológica nas dioceses e províncias, bem como as adversidades da sociedade latino-americana, caribenha e mundial. E seu comprometimento com a educação teológica deve garantir que o exercício da liderança religiosa seja de comprometimento com a identidade episcopal anglicana e com a Missão de Deus, promovendo transformações social e ambiental, superando todas as formas de injustiça e exclusão.

    Representação brasileira:

    Diocese da Amazônia:

    Bispa Marinez Rosa dos Santos Bassotto

    Revdo. Marcos Fernando Barros de Souza

    Diocese de Brasília:

    Bispo Mauricio Jose Araújo de Andrade

    Revda. Tatiana Fatima Ribeiro

    Diocese Meridional:

    Bispo Humberto Maiztegui Goncalves

    Revdo. Pilato Pereira

    Diocese do Paraná:

    Bispo Naudal Alves Gomes (Primaz da IEAB)

    Diocese de Pelotas:

    Bispo Renato da Cruz Raatz

    Revdo. Edison Eulálio Mattos da Rosa

    Diocese de Recife:

    Bispo João Câncio Peixoto

    Revdo. Gustavo Gilson Souza de Oliveira

    Diocese do Rio de Janeiro:

    Bispo Eduardo Coelho Grillo

    Revdo. Mário Ferreiras Ribas

    Diocese de São Paulo:

    Revda. Carmen Akemi Kawano

    Diocese Sul Ocidental:

    Bispo Francisco de Assis da Silva

    Revdo. Silvio Barboza Freitas

    Na equipe de trabalho e/ou convidados (as):

    Revda. Magda Pereira Guedes

    Revdo. Pedro Julio Triana

    Srª. Carmem Regina Duarte Gomes

    Texto: Revdo. Pilato Pereira – Coordenador do CEAT

    (Centro de Estudos Anglicanos de Teologia) da Diocese Meridional

     
c
escrever um novo post
j
próximo post/próximo comentário
k
post anterior/comentário anterior
r
responder
e
editar
o
mostrar/esconder comentários
t
topo
l
go to login
h
show/hide help
esc
cancelar