Mensagem de Páscoa do Primaz

Quando viveremos de fato a Páscoa que almejamos?

Irmãos e Irmãs,

Nosso país precisa ser explicado até para nós brasileiros. Qualquer observador atento fica extremamente confuso com a forma como funcionam os mecanismos de nossa sociedade. Olhamos ao nosso redor e as cenas causam-nos ainda mais estupefação.

O nosso cotidiano se transforma a cada dia numa rotina de violência institucional. Há uma percepção de que a banalização da violência anestesia nossos sentimentos e ficamos com aquela sensação de que o melhor a fazer é “abstrair e fingir demência” .

A rotina de chacinas, mortes e tiroteios nas grandes capitais e nas favelas e periferias apontam para uma situação que pode se tornar incontrolável. A maneira como a justiça age seletivamente com algumas pessoas, enquanto condena outras sob condições intoleráveis envergonha qualquer um que tenha um senso de segurança jurídica.

A articulação de forças políticas violentas cada vez mais ativas denunciam o profundo estado de polarização política que ameaçam inclusive o desfecho das eleições gerais este ano. O debate tem dado lugar a discursos de ódio. Estas forças políticas e econômicas com o apoio da mídia torna ainda mais sombria a realidade de nosso país.

Diante disso cabe a pergunta: como viver a Páscoa neste tão desafiador contexto? Nos sentimos como os discípulos a caminho de Emaús. Precisamos retomar os fundamentos da nossa fé. Somente ela pode  alimentar a chama da nossa confiança no Deus da Vida.

Muitas vezes sucumbimos à realidade e fica difícil enxergar o milagre que se coloca diante de nós e que nossos olhos teimam em não ver. Maria Madalena reagiu assim no primeiro momento, pois não conseguiu enxergar Jesus diante de si até que ele mesmo a chama pelo nome. Nesse contexto ela o reconhece pela voz, qual ovelha reconhece a voz do seu pastor. E ai o milagre acontece.

Peçamos a Deus que nos ensine a enxergar os sinais de vida mesmo em meio a tantas manifestações de morte. Quando nós mesmos estivermos abertos a ouvir a Sua voz (à maneira de Maria) e confiarmos que o poder da cruz não é maior que o poder daquele que a assumiu por amor aí sim, enxergaremos que tudo se faz novo. Nossa sociedade só deixará de perpetrar a desigualdade, a injustiça e a violência quando a luz invadir suas estruturas e dissipar a noite escura que a domina.

Cristo triunfou sobre a sepultura, conquistou a morte e derrotou o inferno. Este é o poder da ressurreição. Esse poder é o que pode transformar de verdade esta velha ordem e colocar em nosso peito um novo coração, uma nova vida e uma nova esperança.

Abençoada Páscoa!

++Francisco de Assis da Silva

Primaz do Brasil