Carta da Câmara Episcopal sobre a Conjuntura no Brasil 

MANIFESTAÇÃO PÚBLICA DA CÂMARA EPISCOPAL DA IGREJA EPISCOPAL ANGLICANA DO BRASIL
SOBRE A REALIDADE BRASILEIRA

A misericórdia e a verdade se encontraram; a justiça e a paz se beijaram.
A verdade brotará da terra, e a justiça olhará desde os céus. (Salmo 85.10-11).

Reunidos como Câmara Episcopal da Igreja Episcopal Anglicana do Brasil, 19ª Província da Comunhão Anglicana, presente neste país desde 1890, reunida nos dias 17 a 19 de Novembro de 2017, e diante da continua ameaça aos direitos humanos e ambientais promovida pelo Governo Federal, por deputados do Congresso Nacional e por decisões recentes do Supremo Tribunal federal, nos manifestamos, afirmando:

a. A Lei Trabalhista que entrou em vigor neste mês começa a ter reflexos negativos na vida da classe trabalhadora brasileira, em especial das mulheres gestantes, e pessoas que sofram acidentes de trabalho, sofram imposição de jornadas desumanas, percam a capacidade de reivindicar seus diretos na justiça, e outros tantos prejuízos já apontados por órgãos representativos como OAB e entidades de juízes e juízas do trabalho. Sendo que a promessa de geração de mais de dois milhões de empregos e irreal e enganosa.
b. A tentativa de liberar a Amazônia Legal para a mineração, e o abandono da fiscalização em todo o território nacional, já apresenta números alarmantes como o desmatamento no Bioma Cerrado (maior do que no Amazônico) e o avanço de mineradoras em Minas Gerais, sem contar o descaso ao atendimento das famílias e áreas afetadas pelo desastre ecológico promovido pela Samarco e suas proprietárias Vale e Billiton BHP.
c. A retirada dos Planos Nacionais, Estaduais e, em muitos casos, Municipais de Educação da abordagem de questões de gênero e orientação sexual, a reforma tecnicista do Ensino Médio retirando as disciplinas que promovem o pensamento crítico e criatividade, além da liberação do ensino religioso confessional atentando contra a educação laica, universal e de qualidade para todas as pessoas. Alertando também para o desmonte das políticas públicas a partir do congelamento orçamentário nesta área nos próximos vinte anos.
d. Também nos colocamos em clara oposição as novas tentativas de redução da maioridade penal mostram a falta de visão de justiça restaurativa, que promova a recuperação das nossas crianças, adolescentes e jovens em situação de vulnerabilidade social.
e. A Reforma Política não tem avançado substancialmente em nenhuma questão de fundo que retira a ação corruptora das grandes empresas, organizações empresariais e interesses multinacionais sobre o processo eleitoral e, consequentemente, sobre o caráter republicano do Congresso Nacional, como o consequente perigo que isso traz para propostas parlamentaristas.
f. Também nos preocupa a ação contra tradições religiosas de matriz africana, que integram de forma inegável a base da cultura e religiosidade brasileira, desrespeitadas por decisões judiciais através de argumentos não legais e estranhos a sua matriz religiosa que promovem ainda mais o ódio e a discriminação.

Finalmente declaramos nosso compromisso de nos unir a todas as Igrejas Cristãs, Organismos Ecumênicos e Interreligiosos, Movimentos Populares e Sindicais e outras entidades da sociedade civil organizada, visando impedir a Reforma da Previdência sobre a qual já nos manifestamos, e a manipulação financeira de votos no Congresso Nacional para conseguir a aprovação de questões de interesse do Executivo, e na esperança de um processo eleitoral aberto e grande discussão das questões nacionais em 2018.

Brasilia, 20 de novembro de 2017
Dia Nacional da Consciência Negra

Revmo. Francisco de Assis da Silva – Bispo Primaz e Bispo da Diocese Sul Ocidental;
Revmo. Naudal Alves Gomes – Bispo da Diocese Anglicana de Curitiba;
Revmo. Maurício José Araújo de Andrade – Bispo da Diocese Anglicana de Brasília;
Revmo. Saulo Maurício de Barros – Bispo da Diocese da Amazônia;
Revmo. Renato da Cruz Raatz – Bispo da Diocese Anglicana de Pelotas;
Revmo. Humberto Maiztegui Gonçalves – Bispo da Diocese Meridional
Revmo. Revmo. Flavio Augusto Borges Irala – Bispo da Diocese Anglicana de São Paulo;
Revmo. João Câncio Peixoto Filho – Bispo da Diocese Anglicana do Recife;
Revmo Eduardo Coelho Grillo – Bispo da Diocese Anglicana do Rio de Janeiro
Revmo Almir dos Santos, Emérito
Revmo Celso Franco de Oliveira, Emérito
Revmo Filadelfo de Oliveira Neto, Emérito
Revmo Jubal Pereira Neves, Emérito