Mensagem de Quaresma do Primaz da IEAB

“Quero ver o direito brotar como fonte e correr a justiça qual riacho que não seca”. (Am 5.24)

Irmãos e irmãs

Estamos iniciando a Quaresma que nos chama a assumir as implicações do caminho de Jesus no deserto e também o seu caminho rumo a Jerusalém. Neste caminho, Ele nos convida a assumirmos o papel de seguidores do seu movimento, comprometidos com uma sociedade justa, baseada no respeito à natureza, ao nosso próximo e a nós mesmos, conforme o propósito de Deus.Portanto, um período especial de reflexão, oração e busca de maturidade na fé. Este ano, nossa IEAB está engajada na Campanha da Fraternidade Ecumênica que reúne as Igrejas do CONIC e o tema para este ano é Casa Comum: nossa Responsabilidade. Este tema é recorrente não somente na Comunhão Anglicana, mas igualmente no Conselho Mundial de Igrejas, na família Ortodoxa e mesmo em outras religiões.

A sociedade está cada vez mais preocupada com os rumos da civilização em termos da sustentabilidade da vida. Cuidar da natureza e ter atitudes proativas no cuidado com o meio ambiente é parte essencial de nosso testemunho como anglicanos. E isto deve acontecer como pessoas e também como comunidades, dioceses e Província. Enfrentar o descaso com o meio ambiente também exige firmeza cidadã e cobrança dos gestores públicos na aplicação de recursos que venham melhorar a qualidade de vida de nosso povo. Significa priorizar o bem estar de toda a sociedade ao invés de fortalecer ainda mais a cultura do lucro pelo lucro. Tomando o exemplo da disseminação preocupante do Zica vírus e da Chikungunya, percebemos que a causa fundamental do problema reside exatamente na ausência de políticas de saneamento básico e tratamento de resíduos acumulado, sem descartar a forma irresponsável com que tem sido tratados as nascentes e cursos de rios. Tudo isso pode ser superado com educação do povo e políticas públicas de preservação do meio ambiente.

A Rede Anglicana de Meio Ambiente disponibilizou uma proposta de jejum pelo meio ambiente que pode ser aplicada individualmente e em nossa comunidades. São 40 ações para serem realizadas durante esta quaresma e que recomendo que possam ser assumidas por toda a Igreja. Passos simples, gestos simples, que implicam em redução da emissão de carbono, uma das causas essenciais para o agravamento dos câmbios climáticos. Portanto, não faltam recursos para assumirmos um concreto compromisso de conversão de nossas práticas, de conscientização de nosso testemunho como cuidadores da criação de Deus.Não estamos sozinhos. Nossos irmão de caminhada ecumênica estão fazendo isto também. Nossos irmãos de outras religiões também estão assumindo o compromisso de cuidar da nossa Casa Comum.

ACESSE AQUI o roteiro do Jejum pela Natureza, com sugestões bem práticas para que seja assumido pela nossa Igreja e que os materiais da Campanha da Fraternidade Ecumênica sejam seriamente estudados em nossas comunidades locais. Uma abençoada Quaresma a todos e todas!

Francisco de Assis da Silva

Primaz da Igreja Episcopal Anglicana do Brasil

Diocesano em Santa Maria