Posts Mentioning RSS Toggle Comment Threads | Atalhos de teclado

  • SNIEAB 16:41 on 29/09/2015 Permalink | Responder  

    Objetivos do Desenvolvimento Sustentável: uma plataforma que desafia a Igreja a agir! 

    “O  Senhor te confirmará para si como povo santo, como te tem jurado, quando
    guardares os mandamentos do Senhor teu Deus, e andares nos seus caminhos”.

    Deuteronômio 28,9

    Há exatos quinze anos, a ONU aprovou um programa de desenvolvimento humano baseado no que se chamou de Objetivos do Milênio. Foi um ambicioso programa que se buscou aplicar através de todas as nações do mundo e destinado a superar o estado de pobreza em países que  exibiam vergonhosos índices de exclusão no campo da saúde, da educação, da distribuição de renda, de desigualdade de gênero, entre outros pontos essenciais que compõem o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH).

    O ambicioso programa apresentou alguns resultados animadores em algumas nações do mundo,  mas ainda não alcançou os níveis desejados, embora há de se reconhecer que muita coisa melhorou. As crises econômicas que se sucederam foram desafiadoras e a crescente tensão militar pós 11 de setembro de 2001, foram a causa de enorme desperdício de gastos militares – algumas centenas de bilhões de dólares – que deslocaram as prioridades de governos para uma maior atenção para programas afirmativos no campo social.

    A recente Conferência das Nações Unidas aprovou unanimemente um novo programa de desenvolvimento sustentável, com uma metodologia mais aberta à sociedade e menos dependente de governos que quer superar até 2030 os índices de desigualdade no mundo. São os chamados Objetivos de Desenvolvimento Sustentável – ODS.

    De acordo com os objetivos e metas dos ODS, são previstas ações mundiais nas áreas de erradicação da pobreza, segurança alimentar, agricultura, saúde, educação, igualdade de gênero, redução das desigualdades, energia, água e saneamento, padrões sustentáveis de produção e de consumo, mudança do clima, cidades sustentáveis, proteção e uso sustentável dos oceanos e dos ecossistemas terrestres, crescimento econômico inclusivo, infraestrutura, industrialização, entre outros. É uma agenda ousada porque à primeira vista são muitos e que precisam mobilizar uma soma muito alta de recursos e ainda precisam disputar contexto de conflitos e de crises econômicas sazonais.

    Do ponto de vista da Igreja, somos chamados a contribuir efetivamente com este projeto que diz respeito ao nosso jeito de viver a nossa missão. As marcas da missão anglicana nos obrigam a oferecer nossa contribuição teológica e prática aos parceiros governamentais, sociais e aqueles que caminham conosco ecumenicamente e em diálogo – independentemente de sua fé – para alcançarmos os ODS a partir de nossas realidades locais até nos níveis da Comunhão Anglicana como um todo. Cremos num Deus de Justiça e de Amor. Nosso Deus não se alegra com a injustiça e nem com um sistema que gera desigualdade entre seres irmãos. Nosso Deus também não se alegra com o uso egoísta e irresponsável do meio ambiente, que causa sérios danos à vida do planeta através do uso egoísta e acumulativo de riquezas que desconsideram a vida dos menos favorecidos e vulneráveis de nosso mundo.

    Evangelizar é, essencialmente, levar a Boa Nova ao Mundo. Conclamo a IEAB, através de todas as suas instâncias a estudar, compartilhar – desde as comunidades locais até às instancias provinciais – a plataforma dos ODS. A apropriação da plataforma nos apontará a descobrir os caminhos pelos quais nosso povo e suas lideranças pastorais podem interagir para transformar nossas comunidades em agentes de transformação. Conclamo a Comissão de Incidência Pública e a Comissão Nacional de Diaconia – como instâncias de reflexão da incidência da Igreja – a estudar com profundidade a plataforma e ajudar a Igreja como um todo a preparar ações concretas na defesa de uma sociedade brasileira democraticamente forte, socialmente justa e ambientalmente correta. Para tanto, temos muitos parceiros e parceiras que estão dispostas a seguir este caminho de testemunho e graça para com nosso povo.

    Veja sobre o assunto aqui

    Deus nos inspire a servi-lo com amor e coragem!

    ++ Francisco

    Primaz da Igreja Episcopal Anglicana do Brasil

     
  • SNIEAB 14:45 on 24/09/2015 Permalink | Responder  

    15ª Campanha Primavera para a Vida 

    Está chegando em suas mãos o material da 15ª Campanha Primavera para a Vida da Coordenadoria Ecumênica de Serviço (CESE) que este ano traz o tema: Eu Respeito a DIVERSIDADE Religiosa. E você? São textos elaborados por lideranças de diversas matrizes religiosas: (Cristianismo, Islamismo, Comunidade Bah’aí, Candomblé e Judaísmo). Estas reflexões nos ajudarão a entender e aprofundar esta temática. A mística, elaborada pela REJU - Rede Ecumênica da Juventude, nos traz o olhar da juventude sobre esta questão e mostra que as juventudes também estão engajadas nesta Campanha.

    Queremos pedir a vocês que incluam na programação de sua igreja ou grupo local a Campanha, durante o período da primavera que tem início dia 21 de setembro e vai até dezembro. Seguem em dois formatos os anexos: CAMPANHA PRIMAVERA PARA A VIDA_ LIVRETO IMPRESSAO. CAMPANHA PRIMAVERA PARA A VIDA_ ON LINE

    Contamos com o seu apoio na divulgação de nossa Campanha e com o seu valoroso empenho para que tenhamos êxito na realização desta iniciativa. Queremos também nos colocar à disposição para o diálogo, para compartilhar experiências e esclarecer dúvidas. Nosso endereço para contato é cesecomunica@cese.org.br.

    Sejamos semeadores e semeadoras de sementes de justiça, paz e solidariedade, a fim de que possamos colher uma sociedade mais justa e fraterna, onde todos e todas tenham o direito e a liberdade para viver a sua fé sem medo ou perseguições. Vamos acolher em nossos corações e compartilhar em nossos espaços de celebração essa Campanha da CESE e façamos eco com todas as pessoas que já abraçaram a Primavera para a Vida.

    Os recursos arrecadados serão destinados a apoiar projetos de iniciativas ecumênicas e inter-religiosas em suas lutas por direitos.

    Na certeza de que contaremos com seu importante apoio e solidariedade, despedimo-nos desejando muitas alegrias e  uma bela primavera!

    O QUECampanha Primavera para a Vida, promovida pela CESE

    QUANDO: Durante toda a primavera

    VALOR: Qualquer valor é bem-vindo!

    Dados para depósito:
    Coordenadoria Ecumênica de Serviço
    CNPJ: 13.589.270/0001-21

    Banco do Brasil
    Agência: 3459-2
    Conta: 19.756-4
    Bradesco
    Agência: 0592-4
    Conta: 42.144-8

     
  • SNIEAB 17:43 on 23/09/2015 Permalink | Responder  

    Bispo Primaz do Brasil recebe convite do Arcebispo de Canterbury 

    Em nota na sua página oficial do facebook no último dia 21, Dom Francisco escreveu: “Recebi o convite de Sua Graça, Arcebispo de Cantuária, o convite enviado aos 37 Primazes para a reunião que será realizada em Janeiro. Esta é mais uma etapa na busca do fortalecimento da unidade de nossa Comunhão. O convite explicita sua clara finalidade: ser um momento de encontro, estudo e oração entre os Primazes e o Arcebispo, bem como refletir sobre as estruturas de nossa Igreja. Temos vivido nas últimas décadas conflitos teológicos em torno de temas – entre eles a sexualidade humana – que tem causado divisões dolorosas dentro da Comunhão Anglicana (…) O esforço do Arcebispo Justin têm sido muito claro em termos de buscar a reconciliação, a unidade e o fortalecimento da família anglicana (…) Em seus primeiros dezoito meses de atuação como nosso líder espiritual, o Arcebispo visitou cada um dos Primazes para ouvir, conhecer e discutir o futuro de nossa Comunhão. Agora é um momento especial de encontro conjunto entre os Primazes e com uma agenda que deve apontar os caminhos que a Igreja precisa seguir e, igualmente, adequar as estruturas para os novos tempos e as novas agendas que se precisa enfrentar. Oremos por este importante encontro e por todos os irmãos Primazes que atenderão a este chamado. E pelo nosso Arcebispo Justin Welby para que lidere com sabedoria a nossa querida Comunhão Anglicana”.

    Arcebispo Justin Welby é o Primaz da Comunhão Anglicana

    Na mensagem endereçada aos representantes das igrejas, o Arcebispo Justin escreveu que o encontro em Canterbury será para “refletir e orar juntos pelo futuro da Comunhão”. Janeiro de 2016 é a data oficializada e há a necessidade de pensar sobre as próximas Conferências de Lambeth – o próprio Primaz da Comunhão Anglicana, em sua fala no convite – comenta que os primazes devem levar suas considerações sobre os temas atuais, que recentemente causaram controvérsias, mas mesmo assim, a fé da Igreja deve-se basear em Jesus Cristo e nas Escrituras corretamente interpretadas: “Eu sugiro a todos os Primazes que devemos ter em conta, os últimos acontecimentos como também olhar novamente para nossas formas de trabalhar como Comunhão e como temos prestado a devida atenção para a evolução ante ao passado”.

    (Veja mais aqui)

    A Igreja Episcopal Anglicana do Brasil – IEAB (19ª Província da Comunhão Anglicana) agradece ao convite, permanecerá orante e em serviço contando com a presença de seu Bispo Primaz, Dom Francisco de Assis da Silva para este encontro.

     
  • SNIEAB 15:38 on 18/09/2015 Permalink | Responder  

    ENUJAB 2015 – Jovens em OrAção 

    Como expressão de um sonho que se tornou realidade, a juventude da IEAB reuniu-se nos dia 4 a 7 de setembro, em Brasília, para a realização do Encontro Nacional da União da Juventude Anglicana – ENUJAB 2015. Contando com a participação de 250 jovens de todas as Dioceses e do Distrito Missionário, os quatro dias de encontro permitiram com que cada participante pudesse se encontrar com Deus e assumir o compromisso de, juntos, fortalecer o trabalho da juventude a nível provincial.

    A realização do encontro aconteceu devido ao esforço provincial de transformar a juventude da igreja em uma de suas prioridades. A partir disso, um Grupo de Trabalho (GT) da Juventude foi criado, composto por Revda. Tatiana Ribeiro (DAB), Revdo. Jordan Santos (DSO), Dominique Lima (DAR), Débora Del Nero (DASP) e Pedro Andrade (DAP), e foi responsável por pensar a realização do encontro e buscar maneiras de transformar o sonho da juventude reunida em realidade. Assim, após uma série de reuniões e contando com o apoio do SADD, da Us, da JUNET e da Província da IEAB, além da colaboração de todos os jovens das dioceses, o ENUJAB 2015 finalmente se concretizou.

    Oficina de Identidade Anglicana

    Inspirados pelos painéis de Acolhida e Serviço, os jovens foram divididos em oficinas, cujos temas eram: Bíblia, Comunicação, Dança Litúrgica, Arte Sacra, Identidade Anglicana, Diaconia, Vocação, Unidade na Diversidade, Liturgia e Responsabilidade Cristã. As oficinas foram enriquecidas pela colaboração de leigos, clérigos e bispos, que se dedicaram a refletir com os participantes a importância da presença da juventude em todas essas esferas da Igreja e da ação missionária da IEAB.

    Os estudos bíblicos e os momentos litúrgicos também foram importantes momentos de espiritualidade e conexão com Deus e de integração entre os jovens das mais diversas realidades anglicanas presentes no Brasil inteiro. A tradição se aliou ao contemporâneo, mostrando que a juventude é capaz de expressar seu louvor de maneira criativa, sem esquecer a identidade anglicana.

    A noite do dia 6 de setembro foi marcada pela expressão artística e cultural de cada uma das dioceses, que criaram apresentações musicais, recitais e teatrais que representam a diversidade cultural do nosso país. Embalados por sertanejo, samba, frevo, maracatu, carimbó e outros ritmos regionais, a juventude celebrou a última noite do encontro com muita alegria e festa.

    O encontro foi finalizado com uma emocionante celebração de envio, com a apresentação do Credo Contemporâneo da Juventude Anglicana elaborado pelos próprios jovens ao longo do encontro.

    A especial presença de jovens de Moçambique, Angola e Portugal que, juntamente com o Brasil, compõem a Rede Lusófona, foi uma oportunidade de estimular a partilha e a integração entre nossos irmãos e irmãs de fala portuguesa, reconhecendo-nos enquanto membros de um mesmo Corpo apesar das diferenças culturais de cada país. Além deles, o ENUJAB 2015 também contou com a presença de jovens de Gana, cuja diocese tem parceria com a Diocese Sul Ocidental e Rachel Parry, da Inglaterra, representando a Us, e jovens representantes da 9ª Província, dos países de Honduras e Republica Dominicana.

    De tudo que foi vivenciado, ficou o sentimento de pertença dos jovens, a certeza de que a juventude é o presente da Igreja, conforme afirma a Carta da Juventude, a integração entre os jovens e a partilha dos sonhos e compromissos de cada um deles de dizer SIM ao chamado e reconhecer a vocação de cada um enquanto membro ativo da Igreja e da construção do Reino de Deus.

    O apoio do Clero e dos Bispos da Igreja também reforçou o sentimento de empoderamento da juventude, que sai do encontro com o fortalecimento do compromisso com a IEAB a partir do Curso de Formação de Lideranças e com o Projeto Missionário “Jovens em Ação”, (em breve noticias sobre este).

    Cada vez mais com a certeza de que “Igreja a gente vive com paixão”, o ENUJAB 2015 foi um momento de rearticulação do trabalho da juventude, quando novamente os jovens se entregaram para o serviço com a força e vitalidade que lhes é peculiar, fazendo a voz jovem ecoar na caminhada de fé da IEAB.

    Originalmente postado em: http://ujab.ieab.org.br/

     
  • SNIEAB 11:26 on 14/09/2015 Permalink | Responder  

    Impressões do ENUJAB 2015 – Parte IV – Espiritualidade, Oração e Cultura 

    fotos de Wiley Pereira da Silva, Diocese Anglicana de Brasília

    Um dos temas mais importantes do encontro, sem dúvidas, foi de como podemos encontrar Deus no decorrer dos trabalhos em nossas comunidades. A necessidade de oração e a vontade de servir são fundamentais para a eficácia do nosso testemunho como episcopais anglicanos.

    Na agenda dos momentos do ENUJAB 2015, algumas das oficinas também tinham esse propósito, usando como fonte a bíblia. Além disso houve também os estudos das escrituras e durante o dia concentração de jovens para o louvor, finalizando o ciclo de espiritualidade com uma vigília meditativa e as celebrações eucarísticas.

    Louvor

    Reflexão

    Vigília Meditativa

    O Caminho das Velas

    Jovens em oração

    Espiritualidade e serviço

    Em outro dia, cada Diocese e o Distrito Missionário tiveram a oportunidade de mostrar sua riqueza cultural e suas perspectivas de transformar o Brasil, num país melhor. Os jovens abordaram seus temas através da poesia, dança, esquetes teatrais e muita alegria! A delegação de Gana também apresentou elementos próprios ao cantar hinos e salmos da liturgia.

    A lenda do Curupira, folclore da região amazônica, invade o ENUJAB

    Costumes do Paraná

    Os missionários anglicanos japoneses que fundaram comunidades em São Paulo recebem homenagem

    O Sul conta sua história e encanta

    Estados se reúnem para cantar

    Gana canta hinos e salmos da Igreja Anglicana

    Apresentação de dança também foi feita pela delegação de Gana

    Carimbó agita o público

    A musicalidade da Diocese de Recife

    A Literatura de Cordel foi recitada

    (Continua na parte V)







     
  • SNIEAB 22:09 on 12/09/2015 Permalink | Responder  

    Impressões do ENUJAB 2015 – Parte III – Representante de Moçambique visita São Paulo 

    Ontem, (11 de Setembro) o jovem representante da Igreja Anglicana de Moçambique, Tomas Bola (29 anos), esteve presente por todo o expediente no escritório da Secretaria Geral. Após café da manhã e acolhida pelos integrantes do staff, ele pode conhecer as instalações do local e um pouco da agenda de compromissos.

    O Reverendo Arthur Cavalcante, Secretario Geral, não pode estar presente pelo motivo de representar a IEAB  numa série de eventos e conferências em Londres. Foi então transmitido seus cumprimentos pela Gerente de Finanças, Silvia Fernandes.

    Equipe da Secretaria Geral recebe o representante de Moçambique no templo paroquial

    No decorrer do dia, Tomas conheceu o escritório, as dependências da Livraria Anglicana e fez um momento de oração no templo da Paróquia da Santíssima Trindade. Houve tempo também, para visitar pontos turísticos de São Paulo, o Theatro São Pedro, próximo ao escritório e depois a Avenida Paulista, MASP e o Conjunto Nacional.

    Na Avenida Paulista

    Conferindo as exposições do MASP

    Registrando a cidade

    Após o almoço, o SNIEAB acompanhou Tomas até seu embarque com destino para Moçambique, no Aeroporto Internacional de Guarulhos e ele pode relatar suas impressões do ENUJAB 2015 e do Brasil:

    SNIEAB: Tomas, é a sua primeira vez aqui no Brasil, pode nos falar sobre isso?

    Tomas: Posso! É a primeira vez que chego ao Brasil, estava lá em Brasília, agora estou aqui em São Paulo, minha primeira vez pisando em São Paulo, mas sou do Moçambique!

    SNIEAB: Como é a Igreja Anglicana no seu país?  Você conseguiu encontrar semelhanças com a Igreja Episcopal Anglicana do Brasil?

    Tomas: Eu acho que as Igrejas Anglicanas não são diferentes, a maneira de se vestir, de se fazer o culto são iguais. Os reverendos, é a mesma coisa. Todas as Igrejas Anglicanas têm a mesma característica. Ser anglicano não pode ser diferente. Eu notei que não há diferença, a não ser a questão do tempo que foram feitas e de como se desenvolvem em cada país. Percebi que aqui é muito, muito igual.

    SNIEAB: Você viu num dos painéis do ENUJAB, que existem muitas desigualdades aqui no Brasil, e a IEAB possui vários projetos assistenciais e um Distrito Missionário, na sua opinião, o modo como assumimos esse tema, é o caminho para ajudar quem precisa?

    Tomas: Eu acho que sim! Foi muito bem explicado, além do culto, é importante fazer um trabalho do lado de fora da igreja, que atenda todo mundo. Existem muitas pessoas carentes que precisam da nossa ajuda e vocês do Brasil fazem isso aos brasileiros. Ouvir a Palavra de Deus é fundamental, é essa a nossa missão. Isso nos dignifica como cristãos. Precisa de muito trabalho pra quem está fora da igreja, não só pra África, a América também precisa. Aqui também há muitas pessoas carentes. E de muita coisa, ninguém é especial por ajudar, é a nossa tarefa como cristãos, como anglicanos, ajudar todas as pessoas. Isso é sim uma boa iniciativa.

    SNIEAB: O que você mais gostou do Brasil?

    Tomas: Dizer o que eu gostei é difícil, a maneira como as pessoas brasileiras me acolheram foi maravilhosa, vocês acolheram quem não conhecem, estou aqui no Brasil, mas parece que estou na minha casa! Porque já consegui conversar com muitas pessoas, tenho muitos amigos, muita gente ficou próxima de mim, o Brasil é ótimo, pessoas acolhedoras, pessoas boas, também a beleza da própria Brasília, São Paulo que é muito grande e é belíssima, eu gostei muito. Os reverendos, são pessoas acolhedoras, eu participei de um culto em Brasília e as palavras do Bispo Francisco que estava à pregar, foram palavras ótimas, que transformaram a minha vida e pode transformar a vida dos moçambicanos.

    SNIEAB: Qual é a mensagem que você pode enviar para os jovens moçambicanos após ter participado do ENUJAB? Vai ter uma impressão que faça convidá-los pra quem sabe, eles virem também nas próximas edições?

    Tomas: Bom, olha, pra mim foi ótimo! (sorrindo).  A escolha não foi de alguém pra que eu estivesse aqui, não sou especial nem importante, foi uma escolha de Deus pra que eu visitasse o Brasil, foi um chamamento, então, segundo o que eu aprendi, eu acho que dá pra transformar a nossa juventude de Moçambique e é aquilo do que falei, não é só pra juventude estar na igreja e cantar no culto pensando que Deus terminou ali, temos muito o que fazer. Deus chama todos nós pra fazer muito trabalho. A juventude é a camada mais vulnerável, precisa de muita atenção, afinal das contas, o jovem, aflora a igreja, eu vou transformar a minha igreja, vou ensinar e apresentar com o que aprendi aqui, no ENUJAB e transformar a nossa vida social como jovens. Da próxima, vou pedir que não se esqueçam de Moçambique, dá pra termos muitas experiências, dá pra fazer na próxima em Moçambique, chamar os brasileiros pra lá!

     
  • SNIEAB 12:53 on 09/09/2015 Permalink | Responder
    Tags: , , , , , , ,   

    Impressões do ENUJAB 2015 – Parte II – Presenças internacionais 

    Dos dias 04 a 7 de Setembro o ENUJAB 2015 movimentou a juventude episcopal anglicana em nível nacional mas também recebeu convidados do mundo todo e representações de instituições amigas. Esse encontro com pessoas de outros países ocasionou um intercâmbio cultural belíssimo e alegre, gerando um legado de companheirismo que não terminou por lá, mas que ainda tem muito pra frutificar entre todos nós.

    No decorrer das atividades, o SNIEAB (Serviço de Notícias da Igreja Episcopal Anglicana do Brasil) esteve conversando com a maioria deles e conectando suas impressões e histórias de vida. A Diocese Anglicana de Brasília, neste período de evento hospedou as presenças de Gana, Estados Unidos, Inglaterra, Honduras, República Dominicana, Portugal, Angola e Moçambique.

    Leslie Penny Petkoff Nikoi, da Igreja Anglicana de Gana partilha sua experiência de fé nos estudos bíblicos

    Rachel Perry, é inglesa e da US, conta suas experiências no Brasil e a felicidade por ser bem acolhida pela IEAB

    Rachel McDaniel é missionária da The Episcopal Church – TEC e está no Brasil para  trabalhar na IEAB, no momento estava junto do Bispo Primaz e sua esposa Talita

    No jantar

    A Igreja Lusitana (Província da Comunhão Anglicana em Portugal) também encaminhou sua correspondente, a jovem Diana Melo,  que o SNIEAB entrevistou:

    SNIEAB: Conversamos com Diana Melo, que é da Igreja Lusitana, também pertencente à Comunhão Anglicana em todo o mundo, e é muito bom poder conhecê-la aqui em nosso país! É sua primeira visita ao Brasil?

    Diana Melo: É sim, a minha primeira vinda ao Brasil!

    SNIEAB: O que você vai levar de mensagem daqui, pra Portugal?

    Diana Melo: Ah! (sorrindo) Muitas memórias, novos amigos! Novas ideias, também nos desafios de trabalhar com os jovens dentro da igreja, de não desistir de levar uma esperança, que esse encontro dá uma esperança para quem trabalha com jovens, de que realmente com empenho as coisas acontecem!

    SNIEAB: Teve como notar alguma semelhança do clero da Igreja Episcopal Anglicana do Brasil com o clero da Igreja Lusitana?

    Diana Melo: Sim, existe (…) O que eu percebo é que aqui no Brasil há uma maior diversidade nas pessoas do clero.

    SNIEAB: Num dos painéis, foi comentado que o Brasil possui muitos problemas sociais… Então existem muitas necessidades espalhadas no nosso território nacional e a IEAB se faz presente com trabalhos de relevância pública. Na sua opinião, esse caminho é importante para a Comunhão Anglicana?

    Diana Melo: É a missão de todas as Igrejas Anglicanas espalhadas pelo mundo! É muito importante, aqui no Brasil é claro perceber isso!

    SNIEAB: Foi comentado também que a IEAB acabou de lançar o Livro de Oração Comum numa Edição Comemorativa de 125 anos da Igreja e 30 anos de ordenação feminina, tivemos um esforço imenso da Comissão Nacional de Liturgia, estamos nos preparando pra em breve lançar a Edição Regular, enviamos o LOC do Brasil para muitos países de língua portuguesa, e para nós, lusófonos isso é um patrimônio fundamental. O Bispo Primaz do Brasil, concedeu a bênção na Celebração Eucarística de Abertura do ENUJAB conforme uma das orações da Igreja Lusitana e foi muito bonito, muitos dos  participantes se emocionaram. O que você, como portuguesa sentiu naquele momento ao ver que seu país foi representado aqui através da oração?

    Diana Melo: Eu me senti muito agradecida, gostei muito! Tudo me fez sentir acolhida!  Foi um dos temas deste encontro, falar de acolhida. Eu fiquei sensibilizada!

    SNIEAB: Diana, foi um prazer imenso conversar contigo, pra finalizar o que você poderia falar para os jovens portugueses que não estão presentes no ENUJAB?

    Diana Melo: Foi um momento fantástico, de muita aprendizagem e de muito conhecimento! De muita alegria! As pessoas aqui são muito boas, me fizeram sempre sentir acompanhada, vou sentir as formas como se relacionam aqui no Brasil, uns com os outros são muito bons, gostei muito! Espero que no próximo ENUJAB possamos ter muito mais jovens portugueses aqui, para partilhar deste encontro!

    SNIEAB: Com certeza, Diana! Queremos muito! Obrigado! Venha mais vezes para o Brasil!

    Paulo Ueti, da Christian Aid, Anglican Alliance ministrou Oficina sobre a Bíblia

    Delegação de Gana, fala de sua cultura e fé em Noite Cultural

    Após noite de talentos, onde todas as Dioceses e o Distrito Missionário apresentaram temas marcantes de sua história e cultura, a delegação de Gana encantou todos os participantes com a sua energia, o SNIEAB esteve presente e conferiu o número de dança dos jovens e cantos tradicionais da igreja africana, os convidou para uma entrevista:

    *todos os membros da delegação conversaram com o SNIEAB, abaixo consta a conversa geral representado somente como delegação.

    SNIEAB: Vocês são de Gana, na África!

    Delegação: Sim, nós somos! E você é do Brasil! (risos de ambas as partes)

    SNIEAB: Como é a Igreja Anglicana em Gana?

    Delegação: É muito interessante, nós achamos! É uma igreja que vem crescendo, não é velha! Como a do Brasil…

    SNIEAB: Hoje vocês viram muitas tradições brasileiras, comidas típicas, brincadeiras com danças e músicas, tem algo parecido aqui com o seu país?

    Delegação: Na verdade, como as músicas, a gente tem quase o mesmo ritmo, a mesma dança, conhecemos um pouco da língua e aprendemos um pouco enquanto falamos, mas quando a gente chegou pra cá, só fazem seis meses e estamos falando o português! Gostamos muito!

    SNIEAB: E está perfeito! Aprenderam muito bem! (muitos risos e palmas entre todos) Do que gostaram mais até agora?

    Delegação: Do churrasco e do chimarrão! (risos) Nós estamos sob a acolhida dos brasileiros e aqui tem muito amor entre as famílias, entre as pessoas, as mulheres são muito bonitas! (risos)

    SNIEAB: Qual é a mensagem de vocês, jovens ganeses para os jovens do Brasil? O que gostariam de falar até o momento e ainda não tiveram a oportunidade? O que o Brasil pode aprender com Gana?

    Delegação: Achamos que neste encontro, é onde estão fazendo as coisas pra crescer (…) Vocês estão tentando fazer uma movimentação entre vocês, nós tivemos experiências destas coisas, compartilharemos isso com vocês. Hoje a gente está olhando o que vocês estão fazendo, mas depois podemos combinar algo ainda maior entre nós e vocês, mas gostamos muito! Todos vocês são animados, todos têm um coração bom, quiseram que a gente fizesse as coisas e nós fizemos. Foi muito gentil!

    SNIEAB: Foi incrível a nossa conversa, as portas da IEAB sempre estarão abertas pra cada um de vocês!

    Todas as presenças internacionais amigas da IEAB


     
  • SNIEAB 10:07 on 09/09/2015 Permalink | Responder
    Tags: , , ,   

    Declaração da Conferência dos Secretários Provinciais Anglicanos 

    Secretários Provinciais da Comunhão Anglicana se reuniram em Dublin do dia 27 de Agosto a 3 de Setembro através do generoso convite da Igreja da Irlanda. Este foi o oitavo de uma série de encontros informais que se iniciaram nos anos 1980. Representantes de 27 Províncias (ver abaixo) e da Igreja de Ceilão compareceram e vários outros enviaram pedidos de desculpa pelo não comparecimento por conta de outros compromissos, doenças ou dificuldades com o visto.


    Quase metade dos que compareceram haviam assumido seus papéis como secretário desde o último encontro em 2011. O programa da conferência tinha como objetivo:
    - Aumentar o entendimento por parte dos Secretários Provinciais da vida no interior da Comunhão;
    - Contribuir para seu desenvolvimento profissional;
    - Facilitar o compartilhamento de experiências e informações de preocupações comuns;
    - Dar uma visão do trabalho e testemunho da Igreja da Irlanda.

    O tema central da conferência foi Reconciliação. Além de ser uma peça chave no trabalho da Igreja da Irlanda há muitos anos, tal tema é percebido pelo Arcebispo da Cantuária como uma de suas prioridades em seu ministério. O Arcebispo, o Reverendíssimo Justin Welby falou para a Conferência, respondeu a questões e conduziu um estudo da Bíblia.

    Ele refletiu sobre o presente estado da Comunhão seguido da visita que realizou a todas as províncias em 2013 e 2014. Outros interlocutores na Conferência incluíram os Arcebispos de Armagh e Dublin (o Reverendíssimo Dr. Richard Clake e o Reverendíssimo Dr. Michael Jackson), o Secretário Geral da Comunhão Anglicana (o Reverendíssimo Josiah Idowu-Fearon), o Deão da Catedral St Anne de Belfast (o Reverendo John Mann), o Diretor da Aliança Anglicana – Desenvolvimento, Alívio e Defesa (a Reverenda Rachel Carnegie) e Gillian Kingston, Líder Leiga da Igreja Metodista da Irlanda. Outros membros do Escritório da Comunhão Anglicana também contribuíram significativamente para o programa.

    As trocas sobre os desafios enfrentados por cada província nas missões foram energéticas, abertas e conduzidas em uma atmosfera de mútuo respeito. Iniciativas atuais de encontrar soluções para preocupações comuns, incluindo conflitos religiosos, perseguição a minorias, mudanças climáticas, injustiça de gênero, pobreza e tráfico de pessoas, foram discutidas.

    Possíveis questões a serem consideradas na próxima reunião em Maio do Conselho Consultivo Anglicano foram identificadas. Os laços de amizade dos Secretários Provinciais foram estreitados através da adoração, estudo da Bíblia e na oportunidade de participar dos serviços de igrejas locais no Domingo.

    Eles se comprometeram a continuar a apoiar uns aos outros em suas orações. Províncias representadas: Aotearoa, Nova Zelândia e Polinésia; Austrália; Bangladesh; Brasil; Canadá; África Central; América Central; Inglaterra; Hong Kong; Oceano Índico; Irlanda; Japão; Jerusalém e Oriente Médio, Quênia; Coréia; México; Mianmar; Norte da índia; Paquistão; Escócia; América do Sul; Sudão; Tanzânia; TEC; País de Gales; África Ocidental; Índias Ocidentais.


     
  • SNIEAB 0:58 on 09/09/2015 Permalink | Responder
    Tags: , , , , Livraria Anglicana,   

    Impressões do ENUJAB 2015 – Parte I 

    O Encontro Nacional da Juventude Anglicana foi oficialmente encerrado ontem, dia 07 de Setembro. Nesta edição de 2015 após dez anos de hiato, teve como sede a Diocese Anglicana de Brasília e trouxe uma nova perspectiva para a IEAB no que se refere ao serviço, acolhida e sobretudo novas perspectivas para o futuro.

    Durante os últimos dias, a Capital Federal foi tomada pelos jovens de todos os cantos do país, as Dioceses e também o Distrito Missionário enviaram suas delegações para o evento que contou com uma multiculturalidade e diversas formas de expressão. O GT Juventude acolheu de forma integral todos os presentes e foi responsável por um dos acontecimentos mais importantes para a Igreja na atualidade.

    Além da presença dos brasileiros, enviados internacionais também puderam experimentar da proposta de ser um jovem de oração, que não apenas reza pelo bem comum, mas põe a mão na massa e faz acontecer transformações na sociedade de acordo com a realidade do momento. Gana, Moçambique, Angola, Estados Unidos, Inglaterra, Honduras, República Dominicana e Portugal participaram desta festa de vários rostos, etnias  e sensações.

    Dom Maurício Andrade, Bispo Diocesano de Brasília, presidiu a celebração eucarística de abertura

    Helena Medeiros Costa, professora de dança, apresentou uma coreografia litúrgica repleta de fundamentos bíblicos

    O Bispo Primaz do Brasil, Dom Francisco, concedeu a bênção conforme uma das orações da Igreja Lusitana (Diocese da Comunhão Anglicana em Portugal)

    Dinâmica de interação mobilizou todos após a celebração, cada letra em específico é a inicial de algum participante

    O objetivo é de encontrar alguém com essa letra inicial e poder conhecer, estreitando laços de amizade

    Mais de 250 pessoas estiveram envolvidas no evento entre clérigos e clérigas, assessores, organizadores, presenças de instituições parceiras e participantes. Uma das formações que contribuíram para o conhecimento de todos foi o painel com tema sobre “serviço”  que foi ministrado por Dom Saulo, Bispo Diocesano da Amazônia, Sandra Andrade, Coordenadora do SADD (Serviço Anglicano de Diaconia e Desenvolvimento) e Revda. Elineide, pertencente do clero do Distrito Missionário.

    Jovens que servem ao propósito de Jesus estão mais preparados para atuar nas comunidades e na sociedade

    Sandra Andrade dirige a palavra aos jovens e explica como estabelecer projetos bem sucedidos nos meios de atuação da igreja

    O foco também foi a formação cristã, os Estudos Bíblicos ministrados pelos assessores alimentaram a alma e fizeram os jovens refletirem e aprenderem mais sobre as sagradas escrituras e sua relação com a igreja. Formados os grupos, a meditação ficou por conta de passagens que contextualizaram os temas do painel realizado em cada dia.

    O grupo Gênesis, liderado pelo Revdo. Abimael, da Diocese Anglicana do Rio de Janeiro, fazendo sua partilha da Palavra de Deus

    Na agenda do ENUJAB contou também diversas oficinas interativas, ilustradas por assessores que abordaram temas pertinentes a juventude e ao trabalho com as comunidades, os próprios participantes se inscreveram com antecedência para os temas propostos.

    Revdo. Jerry Andrei, da Diocese Meridional no workshop “Vocação”

    Revda. Marinez Bassotto, da Diocese Meridional, ministrando workshop “Liturgia”

    Revdo. Luiz Coelho, da Diocese Anglicana do Rio de Janeiro, preside oficina de Arte Sacra

    Integrantes da oficina de Arte Sacra, tem como missão confeccionar os paramentos da celebração de encerramento

    Professora Helena, trabalha os sentidos e auto-estima na oficina de Dança Cristã

    Na noite que antecedia o fim do encontro, a Livraria Anglicana teve seu espaço com auxílio do CEA (Centro de Estudos Anglicanos), que divulgou um novo lançamento, o livro “Life-Widening Mission” traduzido em língua portuguesa pelo Revdo. Luiz Coelho, “Missão que amplia a vida” o projeto em parceria com a Comunhão Anglicana, foi explicado e oficialmente lançado para os jovens numa perspectiva da juventude anglicana do mundo todo. Revdo. Josué Flores, da Diocese Anglicana de Curitiba também deu apoio ao trabalho da Livraria, divulgando um trabalho de sua autoria, “A Maternidade de Deus Segundo Juliana de Norwich”, livros estes, procurados e adquiridos pelo público.

    Revdo. Josué e Revdo. Luiz divulgam seus trabalhos em parceria com o Stand da Livraria Anglicana

    Débora Del Nero, integrante do GT Juventude, e da Diocese Anglicana de São Paulo, no lançamento do livro “Life-Widening Mission”

    Revdo. Luiz agradece ao Revdo. Pedro Triana, coordenador geral do CEA pelo trabalho de desenvolvimento da versão brasileira do livro





     
  • SNIEAB 5:34 on 08/09/2015 Permalink | Responder  

    Moção de repúdio à violência contra os haitianos na cidade de São Paulo 

    Na primeira noite, eles se aproximam e roubam uma flor do nosso jardim: não dizemos

    nada. Na segunda, já não se escondem. Pisam as flores, matam o nosso cão e não

    dizemos nada. Até que um dia o mais frágil deles entra sozinho em nossa casa, rouba-

    nos a luz e, conhecendo o nosso medo, arranca-nos a voz da garganta. E já não podemos dizer nada.

    (Bertolt Brecht)

    O Centro de Apoio e Pastoral do Migrante (CAMI) vem a público manifestar veemente seu REPÚDIO aos atos violentos ocorridos com um grupo de haitianos atacado na Baixada do Glicério, região central de São Paulo, na noite do dia 01 de agosto de 2015. Eles foram alvejados por balas de chumbinho e insultados em sua dignidade humana.

    É emblemático que em pleno século XXI, no Brasil atual que ergue a bandeira da democracia e dos direitos, cujo corolário é o princípio do acolhimento, ocorram fatos de tamanha gravidade. Contrariamente, demonstra-se que as leis não são igualmente aplicadas para todos, os direitos não são universais, os mais fortes ousam impor sua vontade sobre os mais fracos.

    Desse modo, não é de se estranhar que a violência tenha se apropriado do cotidiano das pessoas, as leis não sejam igualmente aplicadas, os mais fortes imponham sua vontade sob a ameaça e o uso da força. Além disso, somos cercados por uma falsa consciência, que vive um tipo
    particular de racismo: um racismo silencioso, que ora nega o preconceito racial, ora o reconhece como o mais brando, ou ainda que ele existe, mas na pessoa que mora ao lado.

    Dia após dia, a intolerância em relação aos imigrantes pobres vai-se disseminado, como bem demonstra o atentado contra os haitianos.
    Diante dessa realidade, o CAMI solidariza-se com todas as vítimas de discriminação e violência, particularmente com haitianos vitimizados e
    reafirmamos que nossa luta é para que as instituições do campo da segurança pública previnam e coíbam qualquer tipo de crime, coerente com sua missão constitucional, eminentemente democrática, protetora da cidadania, da vida e da dignidade humana.

    Desse modo, REPUDIAMOS qualquer tipo de discriminação, xenofobia, racismo e violência contra os/as imigrantes, exigimos a punição dos
    agressores, proteção aos injustiçados e desamparados, que haja maior conexão entre políticas de segurança pública e políticas de proteção aos
    direitos humanos, capazes de tornar a nossa sociedade mais justa, solidária e internamente pacífica.

    Como afirma o Manifesto da 6ª Marcha dos Imigrantes, “Cremos em um mundo criado sem fronteiras que impeçam o livre trânsito da humanidade em benefício dela mesma, onde as fronteiras foram criadas por homens desejosos apenas da manutenção e controle das riquezas e do poder, em detrimento da fraternidade e da paz.”

    Cremos também, como afirma Boaventura Souza Santos, “as pessoas e os grupos sociais têm o direito a ser iguais quando a diferença os inferioriza, e o direito a ser diferentes quando a igualdade os descaracteriza.”

    Assim, REPUDIAMOS toda e qualquer tentativa de discriminar, expor, humilhar, ridicularizar, desqualificar, atacar a honra moral, violar os direitos humanos e de praticar violência contra os imigrantes residentes no Brasil. Como preconizou a 8ª Marcha dos Imigrantes, “Basta de Violência contra os/as Imigrantes!”

    Centro de Apoio e Pastoral do Migrante – CAMI
     
c
escrever um novo post
j
próximo post/próximo comentário
k
post anterior/comentário anterior
r
responder
e
editar
o
mostrar/esconder comentários
t
topo
l
go to login
h
show/hide help
esc
cancelar