MENSAGEM DO BISPO PRIMAZ PELOS 30 ANOS DE ORDENAÇÃO FEMININA 

Irmãos e Irmãs

As quais também o seguiam, e o serviam, quando estava na Galiléia; e muitas outras, que tinham subido com ele a Jerusalém. Marcos 15:41

Há trinta anos atrás, aos 05 de maio de 1985, na Matriz do Nazareno, a IEAB transpôs a barreira da exclusão de gênero para o ministério ordenado das mulheres. No ano anterior, o Sínodo da IEAB, aprovara a ordenação feminina às três ordens: diaconato, presbiterado e episcopado. A primeira mulher ordenada foi nossa irmã Revda Carmem Etel Gomes e a partir daí, muitas outras irmãs foram reconhecidas em seus dons e em seu valioso serviço para toda a Igreja, constituindo-se hoje parte imprescindível do sacerdócio de nossa Província.

Nos alegramos porque a Igreja tem muito a agradecer às valorosas colegas que superaram tantas barreiras e se mantiveram firmes na sua luta por igualdade de direitos. Seu ministério e seus questionamentos tem feito amadurecer cada vez mais as nossas instituições e comunidades. O cuidado e a feminilidade com que tratam o rebanho de Deus, trazem à Igreja um toque diferente, terno, materno, mas também seriamente questionador, o que é muito bom para o nosso caminhar na superação de todas as formas de exclusão.

Desde que fui chamado pela Igreja para ser sacerdote, tenho tido sempre amigas clérigas que me ajudaram a fazer ricas releituras da Bíblia, da Teologia e da Liturgia. Como bispo, tenho a alegria de compartilhar o meu ministério com clérigas que tem dado mostras inequívocas do seu amor a Cristo e à Igreja que servem com intensa alegria.

Nossa esperança é de que este processo nos leve como Igreja a completarmos o que ainda falta. Embora algumas de nossas colegas já tenham sido indicadas para a função episcopal, em várias dioceses, a Igreja ainda não escolheu uma Bispa. Mas cremos que o Espírito Santo nos fará eleger uma colega presbítera para o oficio episcopal, completando assim a transposição final de todas as barreiras que ainda persistem.

Me alegro com todas as mulheres ordenadas de nossa IEAB. Agradeço a Deus por suas vidas e ministérios. Precisamos superar de vez a desigualdade de Gênero que ainda perpassa nossa cultura patriarcal que resiste ainda fortemente na sociedade, no mercado de trabalho, na família e também na Igreja.

Às colegas reverendas, e também aos homens solidários que se somam a elas na sua luta e trabalhos pelo crescimento da maturidade do povo de Deus, a minha sincera saudação, oração e carinho!

Do vosso Primaz,

Santa Maria, 04 de Maio de 2015

++ Francisco

Primaz da Igreja Episcopal Anglicana do Brasil