Mensagem do Bispo Primaz sobre o Dia Internacional da Mulher 

” Deus não está mais longe de nós, de modo nenhum….somos Deus, enquanto homens e mulheres, por graciosa participação” L. Boff

Irmãs e Irmãos

Graça e Paz!

Nossa IEAB celebra este ano uma importante festa que faz parte dos seus 125 anos como Igreja Anglicana para o povo brasileiro: celebramos 30 anos de ordenação feminina! Uma conquista alcançada com muita perseverança, oração e debate. As mulheres leigas da IEAB, ao lado de suas colegas que alcançaram o ministério ordenado, também avançaram no caminho perseverantemente do reconhecimento de seu papel de protagonistas.

Recordo-me bem das longas discussões em torno da troca do nome de SAE para UMEAB, na primeira metade dos anos 90. A invisibilidade era sutilmente velada pelo termo “auxiliadora” ao invés de assumir o gênero e superar adjetivações que mantinham as mulheres fora do centro nervoso da Igreja, que era só ocupado por homens. Me recordo que ao chegar em determinada paroquia que dirigi só havia homens na Junta Paroquial e isso era aceito quase com naturalidade. Foram cinco anos de processo educativo que geraram até a minha saída uma Junta maiormente feminina!

Tenho absoluta certeza que estes processos ainda ocorrem em alguns lugares e contextos da Igreja. Ainda há muito silêncio compulsório.

Mas também vejo sinais que nos animam: as vozes proféticas do serviço tem sido proclamadas por mulheres que estão nas lideranças da diaconia da Igreja. A UMEAB e o SADD tem assumido claramente o combate à violência de gênero. A Província, com o apoio de parceiros têm sucessivamente garantido representação brasileira nas Conferências da ONU sobre o status da Mulher. A Província, representada pelo Primaz, subscreveu, em  Londres, a recente Declaração de Compromisso com a Superação da violência sexual contra Mulheres e Meninas.

Não podemos nos dar por satisfeitos ainda. Há muito a fazer dentro e fora da Igreja. Por isso, neste dia internacional da Mulher, conclamo a Igreja a celebrar a memória de todas as vítimas da violência de gênero. Nossas avós e mães buscaram quebrar muitas barreiras e muitas não chegaram a ver os frutos colhidos nesta luta! A elas o nosso tributo! A elas, nossa reverência!

Aos homens que tem sido tocados e sensibilizados pela causa da igualdade de gênero, nosso apelo: sejam instrumentos de transformação de nossa sociedade para que não haja mais violência explícita ou velada contra as mulheres!

Que toda lágrima derramada seja enxugada, que toda dor experimentada receba a cura e que unidos e unidas no amor de nosso Deus Pai/Mãe possamos continuar oferecendo uns aos outros o respeito, a reverência e a dignidade!

Um abençoado Dia Internacional da Mulher!

Do Vosso Primaz,

++Francisco