Rapto de Meninas na Nigéria: Carta da IEAB para a Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República

Curitiba, 07 de maio de 2014.

À Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República

Exma. Sra. Ministra

Ideli Salvatti

Paz e Bem!

Em primeiro lugar desejamos parabeniza-la por seu trabalho em diferentes ministérios, sua atuação parlamentar e seu novo desafio desde 1º de abril, frente a essa secretaria. Segundo, parabenizar essa secretaria pelo importante e significativo trabalho que vem realizando a favor dos Direitos Humanos, a favor da paz e da justiça em nosso país.

Senhora ministra, estamos acompanhando, entre outras situações de nossa sociedade, estarrecidos, juntamente com os anglicanos e anglicanas em todo o mundo, como Província Anglicana do Brasil, e como comissão de direitos humanos e incidência pública, o sequestro das quase trezentas meninas na Nigéria. Estamos nos mobilizando buscando em diferentes direções apoio da sociedade, dos órgãos constituídos e governos para que o máximo de esforço seja feito no sentido de que o governo nigeriano e instituições internacionais façam o máximo possível em defesa dessas crianças.

Nesse sentido, solicitamos a Va. Sra. elaborar, por favor, e o quanto antes, uma declaração de repúdio a qualquer tipo de violência, em particular a essa situação de agora e solicitação do governo brasileiro ao governo nigeriano, à ONU e outros organismos internacionais no sentido de uma atuação firme e forte em vista da libertação dessas meninas.

Conhecendo os propósitos e atuação dessa secretaria, temos a certeza de que nossa solicitação será atendida, assim, enviamos saudações fraternais no Jesus Ressuscitado, na esperança de que a atuação de pessoas de boa vontade, a sociedade organizada e o empenho dos governos, realidades de vida nova, paz e justiça poderão ser realidade.

Naudal Gomes

Bispo Diocesano da Diocese Anglicana de Curitiba/Igreja Episcopal Anglicana do Brasil

Comissão Provincial de Incidência Pública e Direitos Humanos

SAIBA MAIS SOBRE A MOBILIZAÇÃO DA COMUNHÃO ANGLICANA