Posts Mentioning RSS Toggle Comment Threads | Atalhos de teclado

  • SNIEAB 15:51 on 25/06/2012 Permalink | Responder
    Tags: , , ,   

    Um olhar sobre a Cúpula dos Povos e Rio+20 

    Parece que a natureza está respondendo simbolicamente ao clima de frustração presente no Rio de Janeiro exatamente quando se inicia a Conferencia com os chefes de Estado na Rio+20. Depois de dias luminosos e de muita dinâmica na Cúpula dos Povos e nos pavilhões do Rio Centro, o céu está cinzento e carregadas nuvens se sobrepõem à cidade. Aqui, no aeroporto embarcando de volta para o sul, repasso um pouco do que vi nestes dias de intensa movimentação.

    Dois movimentos distintos. De um lado a Cúpula dos Povos com sua multifacetada imagem, reunindo movimentos sociais, ONGs, Igrejas e tantos outros atores que seria impraticável nominar todos aqui. Gestos, vozes, cânticos e danças compuseram uma fotografia colorida e viva, cheia de energia e de sonhos que pulsavam em toda a área do aterro do Flamengo. Neste contexto, minha participação foi em alguns pontos da programação, como por exemplo na vigília de domingo à noite. Ali, sob a inspiração do Criador, religiões proclamaram a necessidade de se afirmar direitos como elemento fundante de uma sociedade que precisa cuidar da criação e das criaturas. Pudemos interagir ali como nossos irmãos e irmãs de diversas matrizes espirituais e na sequência pude interagir com os mesmos em dois momentos reflexivos em painéis. Atores como o CONIC, Conselho Mundial de Igrejas, CLAI e ACT Alliance se revezaram em oficinas que discutiam acima de tudo a contribuição concreta das igrejas e religiões para a construção de um mundo justo e sustentável.

    Neste contexto, a IEAB se destacou por uma delegação que esteve sempre interagindo para fora e para dentro de si mesma. Um aguerrido grupo de 16 anglicanos (até mais se contarmos com as presenças ocasionais) sob a liderança do nosso Primaz, d. Mauricio, se uniram a outras forças para afirmar o sonho de um mundo mais solidário, mais humano e mais sustentável.

    Ao todo, pude participar oficialmente de três momentos de painéis e um momento de lançamento da publicação da Christian Aid sobre desigualdades no Brasil e na América Latina. E pude assistir outros dois painéis, todos dentro da agenda ecumênica da Tenda Religiões por Direitos. No Rio Centro, onde acontecia a agenda chamada de oficial, pude interagir no painel conjunto ACT Alliança e parceiros alemães sobre o sério problema da emissão de carbono na atmosfera e a postulação de um modelo econômico com baixo carbono – aliás assunto ainda ignorado pelos países ricos e por alguns países em desenvolvimento.

    Ainda hoje, antes de embarcar de volta, pude ter um encontro conjunto ACT Aliança e Conselho Mundial de Igrejas com importante figura da incidência pública ambiental internacional: a ex- Presidente da Finlandia, Sra. Tarja Halonen.

    Na medida em que a Conferencia caminha para seu final, me sinto um pouco frustrado com o que pode vir a ser mais um documento oficial que acabará não obrigando ninguém a nada. E mais uma vez os poderosos deste mundo preferiram pensar em seus próprios interesses e nos interesses das grandes corporações e de seus arquitetos do financismo do que assumir um compromisso de mudança.

    É evidente o divórcio entre sociedade civil e governos e não sei como isso se resolverá. Talvez, como foi dito em um dos painéis, isso só se resolva com uma radical reforma política (se referindo ao Brasil). Enquanto isso não acontece fica a esperança de que o mundo acorde antes que seja tarde para se sustentar e garantir às futuras gerações uma sociedade menos predatória e autofágica. Da Cúpula dos povos fica o exemplo de que os sonhos continuam pulsando.

    Do ponto de vista da IEAB, creio ter sido mais uma presença e testemunho eficaz. A presença anglicana na Rio+20, mesmo com as dificuldades de articulação entre as esferas internacional e nacional, teve no SADD/Anglican Alliance um grande ator. Foi muito bom conviver e ser acolhido pela DARJ e pela comunidade da Christ Church. Foi bom perceber que a IEAB se faz mais uma vez destacar na articulação ecumênica mais ampla. Foi bom estarmos bispos, clérigos e leigos articulados numa incidência pública. Repetimos assim o que tem sido nosso compromisso de articulação ecumênica e inter-religiosa, desde os fóruns sociais mundiais. Fica o desafio de melhor articular no futuro uma presença articulada também a nível internacional. Lamento que isso ainda seja um desafio a enfrentar. Talvez o exemplo de AA/SADD/ACEN sirva-nos de modelo para as nossas próximas incidências!

    Meu abraço e minhas orações!

    + Francisco de Assis da Silva

    Bispo da Diocese Sul Ocidental

     
  • SNIEAB 11:02 on 15/06/2012 Permalink | Responder
    Tags: ,   

    Mensagem do Arcebispo de Cantuária sobre a Conferência Rio+20 

    A grande questão que enfrenta a Rio +20: que tipo de mundo nós queremos deixar de legado para nossas crianças? E não é só uma questão de materialidade ambiental que nós queiramos deixar – as respostas para essa questão, de um certo modo, são muito simples: nós queremos um mundo que seja livre de poluição, um mundo onde todo mundo tenha acesso a água tratada, um mundo onde haja segurança alimentar,  um mundo onde as pessoas tenham aprendido métodos sustentáveis de agricultura e desenvolvimento.

    Mas igualmente importante é uma questão de que tipo de hábitos ou que estilo de vida nós queremos deixar para nossas crianças – que tipo de habilidades nós queremos ver elas desenvolverem para viver sustentavelmente neste mundo.

    Isso significa, como em muitas áreas, que nós temos que começar modestamente, começar localmente. Grandes mudanças vem porque pequenas mudanças acontecem. E no trabalho que eu faço, eu tenho o privilégio de ver muitas mudanças pequenas em processo.  Ano passado no Quênia, eu pude ver o trabalho feito pela Igreja Anglicana  de lá desenvolvendo métodos de agricultura chamado Umoja, métodos que possibilitam que as pessoas saiam da agricultura de subsistência para uma produção real sustentável para eles mesmos,  e muita capacitação em informação nutricional para que o desenvolvimento agrícola, segurança alimentar e atendimento à saúde possam andar juntos.

    Há muitos outros projetos locais como esse, e eu fiquei profundamente impressionado pelo modo como as pessoas localmente no mundo tem desafiado e resistido algumas das depredações feitas pelas indústrias extrativistas, em muitas áreas uma das grandes ameaças a um futuro sustentável.

    Os Governos podem, obviamente, e devem, fazer sua parte nisso tudo. Os Governos precisam oferecer incentivos fiscais para o “desenvolvimento verde”. Eles precisam promover programas que encorajem a todas/os a reduzir nossos desperdício. Eles precisam “tornar verde nossa economia, tanto em casa quanto no mundo todo. E nós, todas/os nós, não “somente as comunidades de fé, precisamos colaborar nisso e apoiar os governos nessa visão.

    Mas na raiz, a questão permanece a mesma: que tipo de mundo nós queremos entregar? Imagino que você tenha o aniversário de sua/seu filha/o ou netas/os chegando. Você desejo dar um presente a elas/es. Você gostaria de dar alguma coisa que genuinamente signifique algo para elas/es, que enriqueça suas vidas, que faça parte do seu crescimento e bem-viver. E isso é o que nos desafia aqui. É um desafio que eu penso que vai repercutir em todo mundo, no mundo todo. Simplesmente isso: que presente nós queremos oferecer? O presente de um mundo que seja livre da poluição, um mundo onde o futuro seja mais seguro, um mundo onde mais pessoas tenham acesso a alimentação, água limpa e atendimento à saúde? Sim. Mas também um mundo onde nós possamos transmitir a sabedoria de como habitá-lo, como viver num meio ambiente limitado com graça, liberdade, confiança.

    Todas as pessoas religiosas entendem o mundo como um presente de Deus. E todas as pessoas religiosas são portanto comprometidas a perguntar: se este é o presente que nos foi dado, como nós transformamos ele num presente para todas as pessoas, para a próxima geração? Como nós fazemos justiça pelas/os nossas/os filhos/as e netas/os? Como nós fazemos para agir com justiça por elas/es? Estamos oferecendo um presente, tanto material como espiritual, que realmente as/os fará viver bem, viver com felicidade, para que o seu futuro seja seguro e que elas/es também tenham um presente para dar para seus/as filhas/os e netas/os?

    Assista ao Vídeo Mensagem do Arcebispo de Cantuária

     
  • SNIEAB 16:00 on 14/06/2012 Permalink | Responder
    Tags: Hinário Episcopal, Liturgia IEAB,   

    Livro de Oração Comum e Hinário Episcopal 2013 

    Ocorreu entre os dias 30 e 31 de maio, nas instalações da Secretaria Geral da Igreja Episcopal Anglicana do Brasil (IEAB) na cidade de São Paulo, a reunião da Comissão Nacional de Liturgia para dar seguimento a reconfiguração do Livro de Oração Comum (LOC) e do Hinário Episcopal (HE). A Igreja do Brasil utiliza desde 1984, o LOC em sua “Forma Abreviada e Atualizada com os Salmos Litúrgicos” e a 1a.Edição do HE de 1962. Desde então a IEAB tem lançado reimpressões desses dois manuais de liturgia.

    Levando-se em considerações as demandas pastorais e teológicas já discutidas e solicitadas nos Sínodos, o Bispo Primaz Dom Maurício Andrade (Presidente da Comissão de Liturgia) convocou a Comissão para analisar e revisar as propostas litúrgicas e apresenta-las sistematizadas, como a nova edição do Livro de Oração Comum e do Hinário Episcopal para 2013. Atualmente Comissão de Liturgia (eleita no Sínodo de 2010) é composta pelo: Reverendo Flavio Irala (Diocese Anglicana de Curitiba), Sra. Cristina Martins de Carvalho (Diocese Sul Ocidental), Reverenda Marinez Bassotto (Diocese Meridional) e Reverendo Arthur Cavalcante (Secretário Geral/Diocese Anglicana de São Paulo).

    Durante os dois dias de encontros, a Comissão participou em vários momentos de vídeos conferências com Reverendo Dessordi Peres (Custódio do LOC- membro ex-oficio da Comissão/Diocese Meridional) e com o Reverendíssimo Bispo Orlando Santos de Oliveira (Diocese Meridional). O cantor/compositor Xico Esvael (Diocese Anglicana de São Paulo) esteve presente como convidado da Comissão.

    Da reunião foram dados os seguintes encaminhamentos:

    • A construção da estrutura básica da próxima edição do LOC a ser submetida, na próxima reunião nacional (20-23 de agosto) da Câmara dos Bispos e do Conselho Executivo.
    • A partir dos trabalhos da Comissão começou-se a esboçar propostas de um Livro de Ritos Alternativos e Ocasionais a serem encaminhadas no segundo momento.
    • Em relação ao HE foi sugerido com apoio do Primaz, a formação de uma Subcomissão, tendo o Reverendo Flavio Irala como coordenador. A intenção é prosseguir com a revisão dos hinos existentes e a introdução de novos hinos sugeridos a partir do contexto das comunidades brasileiras. A Comissão  deu um prazo de 6 meses a subcomissão para apresentar a proposta de Hinário.
    • A criação de um espaço no site da IEAB onde será compartilhado pela Comissão os avanços e os subsídios sobre o LOC e o HE. O jovem Luiz Coelho (Candidato às Sagradas Ordens da DARJ)estará  encarregado de preparar o espaço virtual.

    Participou da reunião o Sr. Eduardo Proença, da Fonte Editorial, empresa que estará encarregada da digitalização, diagramação e impressão do LOC. A Livraria Anglicana estará a frente da comercialização e em parceria com a Fonte, pretende-se distribuir em outras livrarias indo além do público episcopal anglicano.

    A próxima reunião da Comissão Nacional de Liturgia está marcada para ocorrer entre os dias 13-14 de novembro em São Paulo e espera cumprir sua missão até o próximo  Sínodo em junho de 2013.

    Comissão Nacional de Liturgia da IEAB

    Secretaria Geral

     
  • SNIEAB 17:34 on 06/06/2012 Permalink | Responder
    Tags:   

    IEAB no Intercâmbio de Jovens Construtores da Paz em Londres 

    Entre os dia 02 a 10 de Julho, a Aliança Anglicana realizará um encontro para trocas de experiências e formação com o tema “Construtores da Paz”, em Londres.

    O encontro será destinado aos jovens de diversos países  e dividido em duas etapas. A primeira  em Londres, discutirá como explorar o desafio do conflito como uma barreira para o desenvolvimento e levará em conta as realidades de países e de pessoas em situação de vulnerabilidade. A segunda acontecerá na cidade de Belfast (Irlanda) e terá três principais temas: o papel das mulheres como mantenedoras da paz, a questão das armas pequenas e leves e a necessidade das Igrejas para desenvolver uma plataforma mais eficaz de alerta precoce para os conflitos.

    A América Latina e Caribe será representada pelo Brasil com duas representantes, ambas jovens e envolvidas no serviço da Igreja. A primeira é a estudante de serviço social, Ana Caroline Macedo, da comunidade Cidade do Deus, no Rio de Janeiro. Ela é membro em plena comunhão da Paróquia do Cristo Rei/DARJ, onde há algum tempo são oferecidos projetos sociais. A outra é a estudante de jornalismo, Yvi Leíse Rosa Calvani, da Paróquia de São Lucas, em Londrina – Paraná. Yvi é professora da escola dominical e colaboradora na CIN UJAB.

    A programação já está pronta e promete ser intensa, com uma visita ao Palácio de Lambeth e ao Arcebispo de Cantuária, oficinas, estudos bíblicos, discussão com líderes comunitários e visita a comunidades que já são construtoras da paz.

    As estudantes já estão se preparando para o evento e planejando como dar continuidade ao trabalho nas comunidades latino-americanas.  É muito importante que a Família Anglicana se una em oração e no apoio ao trabalho para diminuir a violência promovendo relações de paz e de equilíbrio entre as pessoas e com a natureza. A situação de violência em nossos contextos latino americanos e caribenho é grave e chama a Igreja a tomar posição e colaborar para um mundo melhor.

    Quando Ana Caroline a Yvi voltarem  será necessário organizar um plano de ação para o envolvimento das mesmas nas atividades da Igreja bem como estabelecer um processo para que elas possam colaborar nas ações já existentes, especialmente para fortalecer o nosso Serviço Anglicano de Diaconia e Desenvolvimento.

    Paulo Ueti

    Facilitador da Anglican Alliance  para América Latina e Caribe

     
  • SNIEAB 9:59 on 04/06/2012 Permalink | Responder
    Tags: , , Sra. Selma Rosa   

    Presidente da Câmara de Clérigos e Leigos e a Rio+20 

    Aos Clérigos e Leigos da IEAB
    Rio + 20

    O relato bíblico do gênesis sugere uma perfeita harmonia entre céus, terra, Criador e criatura. Se no princípio a terra era sem forma e vazia, e do nada passou-se ao tudo;  hoje teme-se que esta ordem seja definitivamente invertida, e passemos do tudo ao nada.   Durante anos, embalados pelo som das moedas, progresso, poder, governantes e governados sugaram, saquearam e exploraram a Terra.

    A Rio + 20 também representa a tentativa humana de refazer sua relação com a natureza, consigo e com seu Criador. Finalmente despertados por sons interiores e exteriores, cada indivíduo sabe que deve fazer a sua parte a fim de assegurar a saúde do planeta, garantir a vida na Terra e cumprir seu papel enquanto ser que é à  imagem e semelhança divina.

    Que nesta conferência que se aproxima, líderes e representantes políticos e religiosos sejam humildes e sábios o bastante para empreender ações que assegurem  e tragam de volta a harmonia entre céus, terra, Criador e criatura.

    Que a comunidade anglicana expresse, por meio de gestos simples, concretos e cristãos, seu amor a Deus, ao próximo, à vida e à natureza.

    Graça e Paz!

    Selma Rosa

    Presidente da Câmara de Clérigos e Leigos

    IEAB – 2012

    srosaselma@gmail.com

     
c
escrever um novo post
j
próximo post/próximo comentário
k
post anterior/comentário anterior
r
responder
e
editar
o
mostrar/esconder comentários
t
topo
l
go to login
h
show/hide help
esc
cancelar