Posts Mentioning RSS Toggle Comment Threads | Atalhos de teclado

  • SNIEAB 12:20 on 27/03/2012 Permalink | Responder
    Tags: Anglicanos em Campo Grande, Missão Anglicana,   

    Distrito Missonário Cresce no Mato Grosso do Sul 


    Dois Anos de Missão em Campo Grande

    A Missão em Campo Grande/MS completou em março, dois anos do início das atividades missionárias. O grupo ainda é pequeno mas já se mostra coeso e fiel. No momento as celebrações estão acontecendo no auditório de um Hotel no Centro da Cidade, e o pároco responsável, Rev. Calvani, solicita aos membros da IEAB que tenham contato com pessoas de Campo Grande ou do MS, que informem sobre a comunidade, repassando o site http://www.paroquidainclusao.com .

    Veja as fotos de Campo  Grande nos links: http://paroquiadainclusao.com/site/?p=7758http://paroquiadainclusao.com/site/?p=7296

    Piraputanga (Pantanal) e Dourados – surgem dois novos pontos missionários.

    Em fevereiro foi realizada a primeira eucaristia em Piraputanga, distrito de Aquidauana, no Pantanal do MS. Após a segunda celebração realizada em março, a comunidade solicitou atendimento mensal regular, e a terceira celebração está marcada para o dia 07 de abril, véspera da Páscoa. Piraputanga é um pequeno recanto ecológico na serra de Maracaju. O grupo de Piraputanga conta com 15 pessoas fixas;

    No dia 24 de março foi realizada a primeira eucaristia em Dourados, a segunda maior cidade do MS e um importante pólo educacional e do agronegócio. A celebração aconteceu na Capela Ecumênica do Shopping Avenida e contou com a presença de 9 pessoas. A segunda celebração está marcada para abril e pretendemos também atender mensalmente a esse núcleo.

    Veja as fotos do culto em Dourados no link: http://paroquiadainclusao.com/site/?p=7746

    Fonte: http://www.paroquidainclusao.com

     
  • SNIEAB 10:58 on 23/03/2012 Permalink | Responder
    Tags: , , Rowan William   

    Declaração do Bispo Primaz do Brasil sobre o Arcebispo Rowan William 

    Ao ouvir a noticia da saida no final do ano do arcebispo Rowan William  o primeiros entimento foi de  expressar meu agradecimento pelos  10 anos que ele tem servido com amor e dedicaçào à Comunhão Anglicana.

    No Brasil eu tive a oportunidade acolhê-lo em dois diferentes contextos. Primeiramente quando eu servia como Secretário provincial e hospedamos o Encontro dos Primazes, em Gramado, 2003. A segunda oportunidade quando eu já era o Bispo de Brasilia, dentro do contexto da Assembléia do Conselho Mundial de Igrejas, CMI, Porto Alegre, 2006.

    Desde 2007 tenho acompanhando mais de perto através do Encontro dos Primazes  desde o Dar es Salaan, Tanzania.

    Com certeza esses  ultimos 10 anos foram tempo de muitos desafios e tensões, mas sempre presenciei o Arcebispo Rowan enfrentando tudo com a visão no fortalecimento da unidade da Comunhão Anglicana.

    Em meio a todos os desafios o arcebispo Rowan nos deixa um legado que precisa ser reafirmado e juntos oferecermos açào de graças, desde a metodologia da Lambeth 2008, através do Indaba, ao modelo de condução com muita humildade  do Encontro do primazes quando finalmente  a criaçào da Anglican Alliance , daqui do Brasil ofereço ação de Graças pela sua vida e de sua familia.

    Brasília, 22 de março de 2012

    Bispo Maurício Andrade

    Primaz da IEAB

     
  • SNIEAB 11:29 on 20/03/2012 Permalink | Responder
    Tags: , , Mission, New Communities   

    Representante da Diocese Anglicana de Curitiba no Encontro ‘New Communities’ em San Diego/CA 

    New Community Conference

    A cidade de San Diego hospedou, de 29 de Fevereiro à 4 de Março de 2012, os membros das 9 províncias que formam a TEC (The Episcopal Church), juntamente com convidados de outras províncias da Comunhão Anglicana, que se reuniram para uma experiência multicultural de diálogo, aprendizagem, partilha e networking. A conferência foi promovida pelas secretarias dos Ministérios Étnicos da Sociedade Missionária Nacional e Internacional (DFMS), anteriormente conhecida como Church Center ou 815.

    No Brasil encontramos uma considerável homogeneidade linguística e tendemos a nos identificar como um grande grupo chamado “brasileiro”, apesar das diferenças regionais e nossa imensa diversidade cultural e étnica. Está realidade não é uma regra compartilhada ao redor da Comunhão Anglicana e, especialmente nos Estados Unidos, a diferenciação de grupos-étnicos se postou como um desafio para a Igreja Episcopal. Em uma época em que a igreja Norte-Americana era predominantemente europeia-caucasiana e anglófona, as minorias étnicas formavam comunidades a parte com celebrações e atividades próprias dando destaque as suas línguas e culturas nativas.

    Estas pequenas comunidades sofreram grandes transformações em seus propósitos, proporções e realidade ao longo dos últimos anos, assim como toda a igreja. Com o tema “Recuperando nossa Missão; Reinterpretando Nossos Contextos e Renovando Nossas Comunidades” o evento promoveu um grande intercâmbio de experiências e desafios entre as comunidades afro, nativas, latinas e asiáticas vivendo em um contexto anglo-americano.

    Suas experiências em muito se assemelham, apesar da diversidade de cores e tons que suas histórias desenham. Isto evidenciou a semelhança entre a natureza dos problemas vividos pelas Novas Comunidades com os enfrentados no Brasil. A falta de interesse das novas gerações de episcopais, a forte presença cultural do meio dominante, os conflitos internos entre as diferentes tendências presentes dentro da igreja e a postura da mesma perante os desafios deste século são alguns dos pontos que encontram ressonância em nossa terra.

    A Igreja Episcopal Anglicana do Brasil (IEAB)  se fez representar oficialmente, através do Ministro Leigo Marcel Pereira, da Diocese Anglicana de Curitiba.

    Mais informações, bem como parte da entrevista dada por Marcel Pereira ao Serviço de Notícias Episcopais (ENS) podem ser encontradas no seguinte link: http://episcopaldigitalnetwork.com/ens/2012/03/06/historic-new-community-gathering-unites-episcopal-ethnic-ministries/.

    Segue abaixo a tradução de parte da matéria:

    ‘Encontro New Communities’ une os Minsitérios Étnicos da Igreja Episcopal

    [Episcopal News Service] Histórias de fé e testemunhos pessoais animaram a histórica “Reunião das Novas Comunidades”, entre dias 29 de Fevereiro e 3 de Março, em San Diego, Califórnia de cerca de 300 clérigos e leigos asiáticos, negros e latinos de toda a Igreja Episcopal.

    Envolvimento na comunidade, foco na missão e colaboração foram o centro da agenda do evento, com o tema “Recuperando a nossa Missão, Reinterpretando nossos contextos e renovado nossas comunidades”

    Organizado pelas Secretarias dos Ministérios Étnicos da Igreja Episcopal, a reunião desafiou os entusiasmados participantes – bem como a igreja maior – a abraçar a renovação através da missão criativa, compartilhando recursos e honrando o contexto étnico e comunitário.

    “Havia um sentimento de que era o tempo certo para este encontro histórico”, disse o reverendo Winfred Vergara, missionário para o Ministério Episcopal Asiático (EAM). ”É simplesmente um tempo de partilhar alegrias, esperanças e possibilidades de repensar.”

    “Precisamos encontrar ressonância nas experiências uns dos outros porque temos sentimos a hostilidade, e porque temos a capacidade de acolher e abraçar”, disse ele. ”O Espírito está aqui, dizendo que podemos entender uns aos outros através de nossas experiências comuns de dor e visão comum de esperança.”

    Todos eram bem-vindos a reunião, embora o foco fosse multiculturalismo. A ideia do evento surgiu dos festivais multiétnicos da Convenção Geral e conferências de discernimento vocacional para jovens adultos de cor, mas foi o primeiro evento de desenvolvimento de liderança de seu tipo, acrescentou Vergara.

    A Bispa Presidente, Katharine Jefferts Schori, saudou os participantes no dia 1º. de Março via Skype diretamente de Taiwan, enquanto a Presidente da Câmara dos Deputados, Bonnie Anderson dirigiu-se ao participantes no dia 3 de Março, durante a sessão plenária de vocação leiga e discernimento. O Bispo Stacy Sauls, Chefe de Operações da Igreja Episcopal, celebrou um culto comissionado e os presentes incluíram o Muito Reverendo Michael da Raleigh, do PeaceBattle Institute, Inc. da Carolina do Norte e Dr. Rodger Nishioka, professor adjunto de educação cristã do Seminário Teológico da Columbia, em Decatur, Geórgia.

    A Rev. Angela Ifill, missionária da Igreja Episcopal para o Ministério Afro-Americano, disse esperar que os participantes continuem a usar os insights desta reunião e aproveitem oportunidades futuras para “juntos compreendermos uns aos outros a partir de nossas comunidades e apreciarmos as perspectivas uns dos outros… e a compreensão de que isto é bom e que precisamos continuar a fazer isto. ”

    Marcel Pereira, 31, da Diocese de Curitiba no Brasil, participou da reunião e descobriu que “os problemas enfrentados nos Estados Unidos são muito semelhantes aos vivenciados no Brasil.

    “O mundo multicultural em que vivemos e como abraçar a diversidade sem se tornar outra coisa, são apenas destes desafios”, disse ele.

    “As soluções que apontadas para as Novas Comunidades servem para outras partes da igreja”, acrescentou. ”Eles são problemas comuns do século 21, acolher a todos de forma radical, adequando linguagem e cultura e também as tecnologias. Nós seguíamos uma lógica verbal-textual, mas agora estamos em um mundo orientado por imagens e temos que compreender como abraçar essa cultura “.

    Para o Rev. Mauai Brandon, 27, a interligação das histórias de partilha de recursos e levou para a conferência de San Diego.

    “Todos nós temos histórias diferentes que sobre nossas origens que mostram nossa diversidade. Eu tenho descendência asiática, nativo-americano e polinésia “, disse Mauai, que atua como ministro da juventude na reserva indígena de Standing Rock na Dakota do Sul. ”Minha experiência é a experiência filipina no Havaí e isto ajuda a compartilhar nossas histórias uns com os outros e com a Igreja Episcopal”, disse ele.

    “Isso ajuda a nutrir a fé, a esperança e amor, pois vivemos isto todos os dias e nos ajuda a mostrar aos outros, gerando um efeito cascata”, especialmente entre os jovens da reserva que precisam desesperadamente de sentir que há esperança. ”

    Bispo Dave Bailey disse que a conferência representa mais um passo ao longo da jornada através de “auto-consciência para a auto-determinação” na Diocese de Navajoland, bem como outras comunidades que lutam.

    “É importante para nós neste encontro nos unirmos como a Nova Comunidade apoiando uns aos outros de forma vivificante, reconhecendo que não devemos competir, mas confirmar a nossa comunhão e apreciar a nossa singularidade”, disse.

    “Acredito que este é um novo começo para a vida da igreja e, em muitos aspectos pode ser vivificador para muitas dioceses que se encontram estagnadas.”

    A Bispa sufragânea, Diane Bruce de Los Angeles, chama o encontro de “o novo rosto da Igreja.” Ela veio “para aprender e para apoiar a conferência. Este é apenas o começo”, disse ela. ”Estou ansiosa para mais dessas conferências e contando com mais e os seus bispos.”

    Foi uma reunião de acompanhamento para Bernadette Wyche da Igreja Episcopal Africana de St. Thomas, na Filadélfia e Bryan Trevor II da São Lucas, Nova Orleans, cujas duas congregações estão fazendo parcerias por meio do “New Visions Initiative” da Secretaria do Ministério Afro-Americano.

    “Estou orgulhosa de minha equipe de missionários étnicos que foram proféticos ao estabelecer os alicerces desta conferência sobre a formação cristã continua, garantindo este evento como um momento de transformação e de renovação. A benção da água e sálvia pela Diácona Anciã Reynelda James (Paiute) com as mulheres indígenas foi um momento sagrado de cura para o círculo de parentes reunidos. ”

    Outros seminários apresentados foram: missão e advocacia; evangelismo; Jubileu e da justiça social; Linha Escola-Prisão; a Doutrina da Descoberta; ministério dos batizados; formação ambiental; tecnologia no ministério, e mordomia.

    Longkee Vang, 24, da Igreja dos Santos Apóstolos, na St. Paul, Minnesota, que tem a maior da Igreja Episcopal da população Hmong, disse que se sentiu obrigado a assistir à reunião, porque “eu quero mudança.

    “Eu vim para mostrar que eu estou disposto a ajudar a fazer a mudança, para estar entre pessoas que se sentem da mesma maneira que eu, para estar entre os que movem e abalam e as pessoas que fazem diferença na igreja.

    “Eu quero ver que a verdadeira mudança acontece, o que sempre sonhamos. Esta é uma oportunidade para se conectar com outras pessoas que querem mudanças também.”

    - A reverenda Pat McCaughan é correspondente do Serviço de Notícias Episcopal. Ela é baseada em Los Angeles.

    *Por Marcel Pereira- texto de abertura e tradução para o português

    Ministro Leigo da Comunidade São Pedro, Curitiba

     
  • SNIEAB 11:29 on 12/03/2012 Permalink | Responder
    Tags: , Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos,   

    IEAB na Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos 2012 

    Queridos irmãos e irmãs! Graça e Paz!

    Este ano a Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos – SOUC terá como tema “Todos seremos transformados pela vitória de nosso Senhor Jesus Cristo” 1Co 15, 51-58. A SOUC será realizada de 20 a 27 de Maio, como de praxe na semana que antecede a Festa de Pentecostes.

    Como Primeiro Vice Presidente do CONIC, representando nossa IEAB naquele Conselho, venho me dirigir à Igreja no sentido de se envolver com toda dedicação na SOUC como parte de nosso testemunho ecumênico, traço essencial de nossa identidade.

    A busca da unidade está sempre colocada como o grande desafio para as tradições cristãs, especialmente num mundo onde a competição e a autoafirmação de identidades tem criado conflitos em diversas esferas, inclusive no plano religioso.

    A minha palavra é um convite a todos os anglicanos e anglicanas do Brasil para incentivar a realização de encontros, celebrações e orações – mesmo naqueles lugares onde não haja grupos ecumênicos organizados – em torno da unidade cristã. Será um rico testemunho que em cada comunidade da IEAB se realize celebração pela unidade cristã.

    Naqueles lugares onde haja grupos ecumênicos articulados, os anglicanos e anglicanas são desafiados a se somar às celebrações e eventos que certamente já estão sendo organizados ou começam a ser organizados para a SOUC.

    Estou remetendo como cortesia, um exemplar do livreto de celebrações da SOUC aos colegas bispos para que cada diocese solicite exemplares para distribuição entre o seu clero e povo. Todas as orientações sobre custo e remessa estão no verso do livreto. Se nossos clérigos e clérigas, bem como nossos leigos e leigas querem adquirir diretamente também, podem fazê-lo. Da mesma forma, onde há grupos ecumênicos organizados, estes podem adquirir diretamente.

    Um lembrete muito importante é a questão da coleta nas celebrações da Semana. Uma das fontes de sustentação do Conselho Nacional de Igrejas Cristãs é a coleta realizada nas celebrações da SOUC. Este ano, as coletas estão distribuídas conforme a orientação na primeira contracapa do livreto. O envio das coletas para os regionais e para o CONIC nacional é um compromisso de sustentação da causa ecumênica.

    Desejo a todos os irmãos e irmãs anglicanos uma abençoada Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos. Que nossa Igreja mantenha firme o seu testemunho de reunir-se com outras Igrejas para celebrar a centralidade do Cristo. E que essa fraterna convivência ajude-nos a revelar a unidade em meio a um mundo partido. Confiemos que Cristo nos transforma!

    Com minha benção e abraço,

    Santa Maria, 14 de fevereiro de 2012

    +Francisco de Assis da Silva

    Primeiro Vice-Presidente do CONIC

    Bispo diocesano da Diocese Sul-Ocidental

     
  • SNIEAB 18:01 on 08/03/2012 Permalink | Responder
    Tags: ,   

    Dia Internacional da Mulher 

    “Eu sou a mulher que fez a escalada da montanha da vida,

    removendo pedras e plantando flores”.

    Cora Coralina.

    Hoje é um dia para celebrar, recordar as lutas e vitórias e, acima de tudo, renovar o compromisso com a dignidade da mulher.

    Hoje é um dia para relembrar que a luta continua e que precisamos reforçar e remover muitas pedras do caminho que ainda representam violência contra mulheres.

    Hoje é um dia para celebrar os avanços e vitórias das mulheres na sociedade e aqui recordo as mulheres tecelãs queimadas vivas naquela histórica fábrica em New York em 1857. Elas foram a semente para o que colhemos hoje.

    Desde 1910, o dia 8 de março passou a ser Dia Internacional da Mulher. Mais tarde, em 1975, esta data foi oficializada pela Organização das Nações Unidas (ONU).

    É preciso manter o alerta contra a violência às mulheres. No Brasil, 10 mulheres são assassinadas por dia vitimas da violência doméstica.  enuncie, diga não a esta situação de violência.

    É preciso avançar reconhecendo que todo lugar é lugar de mulher. A igreja precisa reconhecer o valor e o papel da mulher.

    Somos gratos a Deus pelos avanços da Comunhão Anglicana que, já em 1944, ordenou a primeira mulher, Li Rim-Oi, na Diocese de Hong Kong. Atualmente, há um enorme número de mulheres servindo no Ministério Ordenado e ainda um número expressivo de mulheres no Episcopado.

    Quatro Provincias Anglicanas já contam com mulheres no Episcopado: Igreja dos Estados Unidos, Canadá, Austrália, Nova Zelândia e, ainda, a Diocese de Cuba.

    Historicamente, a Igreja dos Estados Unidos foi quem Ordenou a primeira mulher, Barbara Harris, em 1989, na Diocese de Massachusetts e, desde 2006, a Igreja dos Estados Unidos é presidida por uma mulher, Katarine Jefferts Schori.

    Na Igreja do Brasil, IEAB, somos gratos a Deus pelo ministério das mulheres, seja através de mulheres leigas na UMEAB, seja das mulheres ordenadas ao ministério. Atualmente, das nossas 09 Catedrais, 04 são de responsabilidade de mulheres, servindo como Deãs ( Santa Maria , Porto Alegre, Brasília e Belém).

    Que possamos também reafirmar que todo dia é dia da mulher e que possamos dar graças a Deus pela força e esperança na vida transmita por todas as mulheres.

    “elas brigam por aquilo que acreditam.

    Elas levantam-se para injustiça.

    Elas não levam ‘não’ como resposta

    quando acreditam que existe melhor resposta.”

    Pablo Neruda.

    Com abraço do Vosso Primaz.

    + Dom Mauricio Andrade.

     
  • SNIEAB 11:24 on 02/03/2012 Permalink | Responder
    Tags: IECLB, Luteranos, Milton Schwantes   

    Milton Schwantes 

    MENSAGEM DE CONDOLÊNCIAS

    Foto Reinaldo Almeida

    Com profunda tristeza e pesar recebemos a triste notícia do falecimento do Prof. Dr. Milton Schwantes durante a madrugada do dia 1º de março.

    O Prof. Dr. Milton Schwantes, renomeado teólogo, biblista, professor e pastor luterano, graduou-se em teologia pela Escola Superior de Teologia (1970), São Leopoldo/RS;  Doutor em Bíblia/AT pela Universidade de Heidelberg/Alemanha; e Doutor Honoris Causa pela Universidade de Marburgo/Alemanha (2002). Desde 1988 exercia como professor do Programa de Pós-Graduação em Ciências da Religião da Universidade Metodista de São Paulo (UMESP). E sua atuação docente esteve concentrada na área de Bíblia/AT em: exegese, teologia bíblica, arqueologia do Antigo Oriente e ugarítico.

    No entanto, a parte de todos seus grandes méritos acadêmicos, e de sua relevante contribuição na caminhada bíblica latino-americana, o mais importante e relevante em Milton Schwantes é o testemunho que nos deixou como ser humano e como irmão na fé. Uma pessoa que dedicou toda sua vida ao estudo e ao ensino bíblico; uma pessoa que contagiou a todos seus colegas, amigos e amigas, alunos e alunas com sua maneira de ser e com sua alegria e otimismo em relação à vida; uma pessoa que ensinou e ver e ler a Bíblia com os olhos do povo; mas, além de tudo isso, uma pessoa que não apenas ensinou Bíblia, mas que ajudou a formar uma nova geração de biblistas latino-americanos, e em diálogo e junto com outros relevantes biblistas, criou uma verdadeira escola bíblica na América Latina.

    Em nome da Igreja Episcopal Anglicana do Brasil, apresentamos as mais profundas condolências e solidariedade neste momento de dor e tristeza, a sua esposa, a sua família, à Universidade Metodista de São Paulo (UMESP), e à grande família luterana.

    Com profunda esperança, sabemos que o Milton, como costumava ser chamado, descansa nos braços amorosos do Deus da Vida.

    Brasília, 2 de março de 2012

    Dom Maurício Andrade

    Bispo Primaz da Igreja Episcopal Anglicana do Brasil

     
c
escrever um novo post
j
próximo post/próximo comentário
k
post anterior/comentário anterior
r
responder
e
editar
o
mostrar/esconder comentários
t
topo
l
go to login
h
show/hide help
esc
cancelar