Anglicanos assumem compromisso com transformação social 

A reafirmação dos valores do profetismo, do compromisso social e da corresponsabilidade dos cristãos diante da realidade sócio-político-econômica,foi o tema central da sessão de abertura do XXXI Sínodo Geral da Igreja Episcopal Anglicana do Brasil (IEAB) e da Confelíder (Conferência de Lideranças), realizada hoje às 15h, no Recanto Bethania, uma casa de retiros no município de Embu-Guaçu, na região sul paulistana. Participam dessas assembléias – Sínodo e Conferência – onze bispos, presbíteros e teólogos da IEAB, integrantes do Conselho Nacional de Igrejas Cristãs (CONIC) e do Conselho Latino-Americano de Igrejas (CLAI) e do Conselho Mundial de Igrejas (CMI), com sede em Genebra. Estão também participando desses eventos, delegados de todas as Dioceses do País.

Um aspecto destacado nas reuniões em Embu-Guaçu é a igualdade de participação entre homens e mulheres. Nesse ano, a Igreja comemora o vigésimo quinto aniversário da ordenação de mulheres, uma mudança que provocou muita polêmica e que vem se impondo com o tempo.


Missão

O mapeamento da atual conjuntura brasileira, também foi debatido, com a participação do sociólogo Anivaldo Padilha, da cientista social Mara Luz e do Bispo Primaz da IEAB e Bispo de Brasília, d. Maurício Andrade. Nos debates, após esse painel, foram analisados, como desafios à Igreja, os problemas da violência urbana, do desencanto da juventude e dos efeitos de políticas econômicas excludentes, além do avanço do individualismo e do consumismo.

Em sua participação no debate, o Bispo Primaz reafirmou o compromisso da IEAB com a transformação da sociedade, numa dimensão chamada, em termos religiosos, de profetismo; com a renovação das atividades missionárias da Igreja, numa perspectiva de não-proselitismo.

À noite, os participantes debateram, em grupos, duas questões: quais os aspectos a terem prioridade na atual fase da vida da Igreja e se a IEAB já realizou integralmente a sua missão. Um dos grupos, por exemplo, propôs à IEAB que volte a priorizar a teologia do laicato. Nesse sentido, foi relembrado um dos pontos da carta de Lutero, que consagra a doutrina do sacerdócio universal de todos os crentes. Os grupos destacaram também a importância da mística e a valorização do trabalho dos primeiros missionários no Brasil. Com o tempo – disseram – como acontece com todas as instituições – a Igreja passou a viver um processo de burocratização de seu carisma. E essa mudança reforçou a estrutura vertical eclesiástica, um dos pontos centrais criticados pela Reforma Luterana. No Cristianismo, a IEAB é uma das denominações que mais avançaram no processo interno de democratização.

Como destacou, hoje, d. Maurício, a principal característica pastoral da IEAB é o seu esforço para promover a inclusividade, termo da teologia anglicana que é sinônimo, na linguagem laica, da inclusão social, econômica, política e cultural.

Desafios

Amanhã, os participantes da Confelíder debaterão vários aspectos da conjuntura pós-moderna que afetam a atividade missionária da Igreja. Esse é o caso do individualismo exacerbado, do consumismo sem limites, da transformação da mulher em objeto de consumo, na violência crescente, na erotização precoce e na continuidade da exclusão social. Amanhã à noite será iniciado o XXXI Sínodo da IEAB com caráter deliberativo.

-

Rev. Josué Flores

Membro do GT-Comunicação da IEAB