ACC: Pacto Anglicano e Oriente Médio

Pacto Anglicano: Em uma longa sessão, o ACC decidiu por maioria de votos remeter a um grupo de trabalho designado pelo Arcebispo de Cantuária para revisão de sua seção 4 a última versão do Pacto Anlgicano, chamada de versão Ridley-Cambridge. Um grande debate se realizou em cima de propostas apresentadas por delegados que variavam entre acolher somente as seções de 1 a 3 do documento e destacar a seção 4 até a proposta vencedora de se acolher o documento como um todo e submeter a uma revisão a seção que trata das propostas de regulação das relações ntre os signatários. Nosso representante, Prof. Joanildo Burity esteve nos informando detalhadamente a respeito das discussões em plenário. Se você deseja acessar a versão do Pacto Anglicano submetida ao ACC clique aqui

ABC acc 14

 

Oriente Médio. Uma proposta de resolução apresentada pela Comissão Internacional Anglicana de Justiça e Paz pedia ao ACC que pedia a condenação da judaização da cidade de Jerusalém, foi emendada por inciativa de alguns delegados sob o argumento de que o tom da proposta original poderia afetar negativamente as relações de diálogo entre cristãos e judeus. A despeito dessa redução de tom, o ACC aprovou unanimente a condenação da ocupação militar nos territórios palestinos e  reafirmou o esforço de paz que inclua a criação de dois Estados na região, garantindo ao povo palestino sua autonomia polítca.

O dia de ontem foi de partilha de vida e celebrações entre os delegados do ACC e as comunidades locais da Jamaica. Essa rica experiência certamente marcará reciprocamente a vida dos delegados de várias partes do mundo que estão atendendo à reunião do Conselho bem como as comunidades locais da Jamaica que se sentem assim parte de uma Comunhão muito maior.

O ACC estará reunido até a próxima quarta-feira apreciando ainda uma extensa pauta que inclui questões de caráter administrativo e financeiro. O Arcebispo de Cantuária, que preside o ACC, deverá dirigir uma mensagem à toda Comunhão Anglicana avaliando a reunião do Conselho e apontando caminhos para o futuro da Comunhão.

-

Rev. Cônego Francisco de Assis da Silva

Secretário Geral da IEAB