Encontro das Américas: uma Palavra à Comunhão

Com uma celebração presidida pelo Primaz do Brasil, D. Mauricio de Andrade e pregação do Primaz do México, D. Carlos Touche, o Encontro das Américas encerrou-se na sexta-feira, 27, na capital da Costa Rica.Uma declaração final foi unanimemente redigida como uma palavra à Comunhão Anglicana, resumindo os principais avanços experimentados nos dias de convivência entre as lideranças das Provincias ali representadas.

Abaixo, reproduzimos o texto da Declaração em Português. Fotos do Encontro podem ser visualizadas a seguir:

XML File doesn't exist

COMUNICADO DA CONFERÊNCIA DAS IGREJAS ANGLICANAS DAS AMÉRICAS SOBRE RESPONSABILIDADE MÚTUA E MISSÃO
Fevereiro 22-27, 2009
“AMAZING TOGETHER”

Delegações das Províncias da Igreja Anglicana do Brasil, da Igreja Anglicana do Canadá, da Igreja Anglicana da Região Central das Américas (IARCA), da Igreja Episcopal, da Igreja Anglicana do México, das Dioceses do Uruguai, Peru e Cuba encontraram-se em Costa Rica de 22 a 27 de Fevereiro, 2009. Entre o clero e laicato estiveram presentes o Revmo. Maurício Andrade, o Revmo. Martin Barahona, o Revmo. Fred Hiltz, a Revma. Katharine Jefferts Schori e o Revmo. Carlos Touche Porter.

Para essa conferência histórica, nós convidamos todas as províncias das Américas e do Caribe para discutir nossa responsabilidade mútua na missão e descobrir uma sensação de perplexidade em estarmos juntos no Corpo de Cristo através da oração, reflexão e volta à ação; para reafirmar a unidade da Igreja, fazer com que a comunhão seja algo real e tangível, e enfatizar nossa necessidade um pelo outro. Durante esses dias juntos pudemos regozijar-nos no amor de Deus.

Enviamos nossas saudações para o Arcebispo de Cantuária, Dr. Rowan Williams, para todas as províncias da Comunhão Anglicana, Primazes e Moderadores, para todos os nossos irmãos e irmãs em Cristo vinculados à Comunhão Anglicana mundial. Somos gratos pelos primazes das províncias do Cone-Sul e Índias Ocidentais por terem nos permitido convidar suas dioceses individuais para encontrarem-se conosco.

O Rev. John K. Kafwanka, Diretor de Pesquisa e Projeto em Missão e Evangelismo na Comunhão Anglicana, que participou do Encontro como conferencista principal, desafiou todos os presentes a evangelizar de forma efetiva e criativa.

Ao longo do nosso tempo juntos, celebramos a Eucaristia, participamos de séries de Estudos Bíblicos, apresentamos os trabalhos que cada província, diocese e igreja local realiza em seu país de origem, tendo sempre em foco as Cinco Marcas da Missão. Firmamos o compromisso de nos apoiar uns aos outros na defesa dos pobres, por um mundo que reflita mais de perto o Reino de Deus.

Também cogitamos as possibilidades futuras para missão em relação a:

•    Relacionamentos e esforços direcionados à unidade promovida durante a Conferência de Bispos de Lambeth, 2008;

•    A necessidade de se agir ecumenicamente;

•    As realidades políticas e econômicas do mundo, que causam impacto na nossa habilidade de vivenciar nossa missão;

•    A crescente urbanização do mundo;

•    O desejo de se conservar e preservar nosso meio ambiente;

•    O papel da Comunhão em promover o alcance das Metas do Milênio, e

•    O papel emergente e crescente dos povos indígenas dentro da Igreja.

Falamos sobre nossas esperanças e sonhos, e compartilhamos uma visão do nosso futuro unidos como Igreja nas Américas e Caribe. Reconhecemos que há tensões entre nossa amada Comunhão Anglicana, porém sabemos que temos mais ainda em comum. Nossa unidade tem início no batismo, o qual faz de nós ministros da graça de Deus no mundo.

Dividimos um mundo, mas sabemos que para a missão de Deus não há fronteiras. Nossas comunidades são desafiadas pela crise econômica mundial, pela degradação da criação, a alienação de nossa juventude e a disparidade crescente entre ricos e pobres. Em meio a esses desafios, Deus nos chama para proclamar em palavra e ação as Boas Novas para todos aqueles que cruzarem nossos caminhos.

À medida que nos deparamos com esses tempos críticos nas Américas e Caribe, somos guiados pela sabedoria divina que provém das histórias e ensinamentos dos primeiros missionários no Livro de Atos, que foi nosso objeto de estudo enquanto estivemos juntos. “Então Pedro disse: – Não tenho nenhum dinheiro, mas lhe dou o que tenho: em nome de Jesus Cristo de Nazaré, levante-se e ande!” (At 3:6). Somos provocados pela mensagem de Atos a anunciar que “outro mundo é necessário e possível”, como também a agir com urgência na promoção da plenitude de vida que Deus tem planejado para cada um de nós.

Deus tem dado a cada uma de nossas províncias muitos dons, e nos conclama a dividi-los com nossos irmãos e irmãs. Devemos aprender como receber esses dons, bem como utilizá-los. Ele nos tem feito – a todos – responsáveis por Sua missão de reconciliar o mundo e nossa interdependência em Cristo faz com que isso seja possível.

No âmbito do nosso diálogo, conclamamos o Conselho Consultivo Anglicano a aceitar uma proposta que ele deve analisar durante seu encontro em Kingston, na Jamaica em maio de 2009: a de adicionar uma sexta Marca da Missão – paz, transformação de conflito e reconciliação.

Nossos agradecimentos a todos que fizeram dessa Conferência um evento possível, incluindo a Comissão Organizadora, a Igreja Anglicana da Região Central das Américas, e nossos anfitriões da Diocese de Costa Rica. Garantimos a manutenção e aprofundamento dos relacionamentos estabelecidos ao longo do nosso tempo aqui. Garantimos também que iremos trabalhar unidos pela missão de Deus nessa parte do mundo, e oramos para que, futuramente, possamos vir a nos encontrar de novo.

San Jose, Costa Rica
Fevereiro de 2009

COMUNICADO DA CONFERÊNCIA DAS IGREJAS ANGLICANAS DAS AMÉRICAS SOBRE RESPONSABILIDADE MÚTUA E MISSÃO
Fevereiro 22-27, 2009
“AMAZING TOGETHER”

Delegações das Províncias da Igreja Anglicana do Brasil, da Igreja Anglicana do Canadá, da Igreja Anglicana da Região Central das Américas (IARCA), da Igreja Episcopal, da Igreja Anglicana do México, das Dioceses do Uruguai, Peru e Cuba encontraram-se em Costa Rica de 22 a 27 de Fevereiro, 2009. Entre o clero e laicato estiveram presentes o Revmo. Maurício Andrade, o Revmo. Martin Barahona, o Revmo. Fred Hiltz, a Revma. Katharine Jefferts Schori e o Revmo. Carlos Touche Porter.

Para essa conferência histórica, nós convidamos todas as províncias das Américas e do Caribe para discutir nossa responsabilidade mútua na missão e descobrir uma sensação de perplexidade em estarmos juntos no Corpo de Cristo através da oração, reflexão e volta à ação; para reafirmar a unidade da Igreja, fazer com que a comunhão seja algo real e tangível, e enfatizar nossa necessidade um pelo outro. Durante esses dias juntos pudemos regozijar-nos no amor de Deus.

Enviamos nossas saudações para o Arcebispo de Cantuária, Dr. Rowan Williams, para todas as províncias da Comunhão Anglicana, Primazes e Moderadores, para todos os nossos irmãos e irmãs em Cristo vinculados à Comunhão Anglicana mundial. Somos gratos pelos primazes das províncias do Cone-Sul e Índias Ocidentais por terem nos permitido convidar suas dioceses individuais para encontrarem-se conosco.

O Rev. John K. Kafwanka, Diretor de Pesquisa e Projeto em Missão e Evangelismo na Comunhão Anglicana, que participou do Encontro como conferencista principal, desafiou todos os presentes a evangelizar de forma efetiva e criativa.

Ao longo do nosso tempo juntos, celebramos a Eucaristia, participamos de séries de Estudos Bíblicos, apresentamos os trabalhos que cada província, diocese e igreja local realiza em seu país de origem, tendo sempre em foco as Cinco Marcas da Missão. Firmamos o compromisso de nos apoiar uns aos outros na defesa dos pobres, por um mundo que reflita mais de perto o Reino de Deus.

Também cogitamos as possibilidades futuras para missão em relação a:

•    Relacionamentos e esforços direcionados à unidade promovida durante a Conferência de Bispos de Lambeth, 2008;

•    A necessidade de se agir ecumenicamente;

•    As realidades políticas e econômicas do mundo, que causam impacto na nossa habilidade de vivenciar nossa missão;

•    A crescente urbanização do mundo;

•    O desejo de se conservar e preservar nosso meio ambiente;

•    O papel da Comunhão em promover o alcance das Metas do Milênio, e

•    O papel emergente e crescente dos povos indígenas dentro da Igreja.

Falamos sobre nossas esperanças e sonhos, e compartilhamos uma visão do nosso futuro unidos como Igreja nas Américas e Caribe. Reconhecemos que há tensões entre nossa amada Comunhão Anglicana, porém sabemos que temos mais ainda em comum. Nossa unidade tem início no batismo, o qual faz de nós ministros da graça de Deus no mundo.

Dividimos um mundo, mas sabemos que para a missão de Deus não há fronteiras. Nossas comunidades são desafiadas pela crise econômica mundial, pela degradação da criação, a alienação de nossa juventude e a disparidade crescente entre ricos e pobres. Em meio a esses desafios, Deus nos chama para proclamar em palavra e ação as Boas Novas para todos aqueles que cruzarem nossos caminhos.

À medida que nos deparamos com esses tempos críticos nas Américas e Caribe, somos guiados pela sabedoria divina que provém das histórias e ensinamentos dos primeiros missionários no Livro de Atos, que foi nosso objeto de estudo enquanto estivemos juntos. “Então Pedro disse: – Não tenho nenhum dinheiro, mas lhe dou o que tenho: em nome de Jesus Cristo de Nazaré, levante-se e ande!” (At 3:6). Somos provocados pela mensagem de Atos a anunciar que “outro mundo é necessário e possível”, como também a agir com urgência na promoção da plenitude de vida que Deus tem planejado para cada um de nós.

Deus tem dado a cada uma de nossas províncias muitos dons, e nos conclama a dividi-los com nossos irmãos e irmãs. Devemos aprender como receber esses dons, bem como utilizá-los. Ele nos tem feito – a todos – responsáveis por Sua missão de reconciliar o mundo e nossa interdependência em Cristo faz com que isso seja possível.

No âmbito do nosso diálogo, conclamamos o Conselho Consultivo Anglicano a aceitar uma proposta que ele deve analisar durante seu encontro em Kingston, na Jamaica em maio de 2009: a de adicionar uma sexta Marca da Missão – paz, transformação de conflito e reconciliação.

Nossos agradecimentos a todos que fizeram dessa Conferência um evento possível, incluindo a Comissão Organizadora, a Igreja Anglicana da Região Central das Américas, e nossos anfitriões da Diocese de Costa Rica. Garantimos a manutenção e aprofundamento dos relacionamentos estabelecidos ao longo do nosso tempo aqui. Garantimos também que iremos trabalhar unidos pela missão de Deus nessa parte do mundo, e oramos para que, futuramente, possamos vir a nos encontrar de novo.

San Jose, Costa Rica
Fevereiro de 2009

-

Rev. Cônego Francisco de Assis da Silva

Secretário Geral da IEAB