Uma marcha de alegria e esperança

Diversidade e festa da esperança. Estas duas palavras podem resumir o que foi a celebração interreligiosa e a marcha de abertura do Fórum Social Mundial que reúne mais de 100 mil pessoas na cidade de Belém.

celebração

Na quadra do colégio ao lado de nossa Catedral ocorreu a celebração de abertura para a chamada Coalizão Ecumênica. Uma celebração rica de diversidade e perspectivas espirituais. Reflexão e movimento caracterizaram esse momento de boas vindas a todas as pessoas que representam o mundo ecumênico e que se encontram em Belém para participarem do Fórum.

Lá fora, uma forte chuva parecia sinalizar que o processo de fertilização dos sonhos ali presentes estava em curso e que seguirá o seu caminho. Cristãos, espiritualistas, bramanistas, judeus, árabes estavam ali celebrando algo que os une sem restrições: o sonho de um outro mundo possível.

Logo a seguir, todos uniformizados com as camisetas da Coalizão Ecumênica saíram para entrar em outra corrente viva e dinâmica que foi a marcha de abertura do Fórum Social Mundial. Algo bem amazônico, como um afluente que entra no rio principal e dá-lhe cor e sabor para continuar o seu caminho até o grande mar.

E que rio de águas torrentes! Representantes de inúmeros segmentos sociais, opções políticas, interesses e idades se puseram lado a lado, ao som dos tambores para manifestar à cidade que temos sonhos para realizar e os queremos realizar.

Um mundo diferente, sem os sinais cotidianos de morte e devastação da natureza. Um mundo onde as pessoas se olhem como parte de um mesmo complexo corpo universal. Onde a dignidade não precise ser implorada. E onde a solidariedade sobre.

marcha

Nesta onda cheia de esperança a presença anglicana se fez sentir. Bispos, clérigos e leigos se juntaram a essa marcha e deram as mãos aos diversos segmentos sociais representados na marcha.

O bispo Primaz e mais os bispos das Dioceses da Amazônia e Recife, ao lado do Secretário Geral e de clérigos e lideranças provinciais e locais marcaram sua presença. Cantamos e dançamos ao som dos tambores da bela Amazônia. Abrimos passagem reverentemente aos povos originários dessa terra e vivemos a alegria de uma luta que é a de todos os povos da terra. Belém nestes dias é sem dúvida uma espécie de capital do mundo!

Estaremos disponibilizando vídeos desses eventos o mais rápido possível para que percebam ao vivo como foi a abertura do Fórum em Belém.

-

Rev. Cônego Francisco de Assis da Silva

Secretário Geral da IEAB