Posts Mentioning RSS Toggle Comment Threads | Atalhos de teclado

  • SNIEAB 20:04 on 31/01/2009 Permalink  

    Gênero, Meio-ambiente e Política 

    A quinta-feira, terceiro dia do evento, foi de intensa atividade para a Coalizão Ecumênica no Fórum Social Mundial. No meio da multidão de cerca de cem mil pessoas espalhadas por dois campi de universidades, a presença ecumênica se dividiu em mais de dez atividades conjuntas.

    Gênero – promovido por ICCO – uma agência de desenvolvimento da Holanda – o workshop contou com as presenças de importantes lideranças femininas do mundo ecumênico e acadêmico. O tema Violência baseada em Gênero foi debatido diante de participativa platéia na Capela Ecumênica da UFPA e apontou para o longo caminho a ser percorrido  na relação entre desigualdade econômica e social e a forma como se regula culturalmente na América Latina a questão dos direitos das mulheres.

    mesa do CMI

    Meio-ambiente – promovido pelo CMI – Conselho Mundial de Igrejas, o workshop contou com representantes de diversas partes do mundo os quais compartilharam as preocupações de Igrejas e organismos ecumênicos na criação de redes para pressionar governos e sociedades por políticas de preservação do meio-ambiente seriamente ameaçado por práticas como monoculturas e consumo não consciente dos recursos naturais.

    Primaz fala a estudantes

    Política - Sob o tema Fé e Política, nosso Primaz participou de uma mesa com representantes de segmentos ecumênicos estudantis entre os quais a ABUB ( Aliança Bíblica Universitária do Brasil) e a rede FALE – articulação ecumênica de juventude que trabalha temas variados visando a implementação de direitos. Em sua fala, o Bispo Primaz ressaltou o imperativo de Evangelho de se assumir o compromisso com a justiça e o seu custo para quem deseja, a exemplo dos discípulos largar tudo e atender ao chamado de Deus.

    À noite, no Centro de Convenções Hangar, cerca de dez mil pessoas assistiram cinco presidentes latinoamericanos exporem sua compreensão sobre o Fórum Social Mundial e apontarem alguns caminhhos para a unidade da América latina e o enfrentamento das profundas desigualdades sociais que ainda dominam as estatísticas desse imenso continente.

    Foi uma longa sessão de quase seis horas de duração que reuniu os Presidentes da Venezuela, Ecuador, Paraguai, Bolívia e o Presidente Lula.

    O Fórum deste ano, em razão de seu território espalhado por grandes campi universitários, tem se caracterizado por largas distâncias entre os locais dos eventos, provocando assim um constante fluxo de pessoas até certo ponto exaustivo.

    -

    Rev. Cônego Francisco de Assis da Silva

    Secretário Geral da IEAB

     
  • SNIEAB 11:25 on 28/01/2009 Permalink  

    Uma marcha de alegria e esperança 

    Diversidade e festa da esperança. Estas duas palavras podem resumir o que foi a celebração interreligiosa e a marcha de abertura do Fórum Social Mundial que reúne mais de 100 mil pessoas na cidade de Belém.

    celebração

    Na quadra do colégio ao lado de nossa Catedral ocorreu a celebração de abertura para a chamada Coalizão Ecumênica. Uma celebração rica de diversidade e perspectivas espirituais. Reflexão e movimento caracterizaram esse momento de boas vindas a todas as pessoas que representam o mundo ecumênico e que se encontram em Belém para participarem do Fórum.

    Lá fora, uma forte chuva parecia sinalizar que o processo de fertilização dos sonhos ali presentes estava em curso e que seguirá o seu caminho. Cristãos, espiritualistas, bramanistas, judeus, árabes estavam ali celebrando algo que os une sem restrições: o sonho de um outro mundo possível.

    Logo a seguir, todos uniformizados com as camisetas da Coalizão Ecumênica saíram para entrar em outra corrente viva e dinâmica que foi a marcha de abertura do Fórum Social Mundial. Algo bem amazônico, como um afluente que entra no rio principal e dá-lhe cor e sabor para continuar o seu caminho até o grande mar.

    E que rio de águas torrentes! Representantes de inúmeros segmentos sociais, opções políticas, interesses e idades se puseram lado a lado, ao som dos tambores para manifestar à cidade que temos sonhos para realizar e os queremos realizar.

    Um mundo diferente, sem os sinais cotidianos de morte e devastação da natureza. Um mundo onde as pessoas se olhem como parte de um mesmo complexo corpo universal. Onde a dignidade não precise ser implorada. E onde a solidariedade sobre.

    marcha

    Nesta onda cheia de esperança a presença anglicana se fez sentir. Bispos, clérigos e leigos se juntaram a essa marcha e deram as mãos aos diversos segmentos sociais representados na marcha.

    O bispo Primaz e mais os bispos das Dioceses da Amazônia e Recife, ao lado do Secretário Geral e de clérigos e lideranças provinciais e locais marcaram sua presença. Cantamos e dançamos ao som dos tambores da bela Amazônia. Abrimos passagem reverentemente aos povos originários dessa terra e vivemos a alegria de uma luta que é a de todos os povos da terra. Belém nestes dias é sem dúvida uma espécie de capital do mundo!

    Estaremos disponibilizando vídeos desses eventos o mais rápido possível para que percebam ao vivo como foi a abertura do Fórum em Belém.

    -

    Rev. Cônego Francisco de Assis da Silva

    Secretário Geral da IEAB

     
  • SNIEAB 19:51 on 26/01/2009 Permalink  

    Kairós, Amor e Açai 

    O dia de ontem foi muito itenso para a comunidade anglicana de Belém. Pela manhã uma diversificada congregação composta por jovens que estão particpando das atividades dos Fóruns de Teologia e Social Mundial além, é claro, de uma motivada presença dos membros da Catedral, ouviram nosso Bispo Primaz falar no kairós de Deus.

    Primaz na Catedral da Sta. Maria

    Baseado no texto de Marcos que fala da chamada dos primeiros discípulos, D. Maurício expos a importância de se ter a sensibilidade para perceber o tempo divino. Trata-se daquele em que em que o Reino se realiza. Para esse kairós acontecer é preciso ler a realidade e se comprometer com a justiça. Lembrando o fato de que em Belém, de certa forma o mundo todo se faz representar pelo Fórum Social Mundial, o Primaz lembrou que para isso acontecer muitos tombaram no caminho da luta pela dignidade e pela liberdade. Lembrou a irmã Dorothy, os 19 sem-terra assassinados há 12 anos atrás, Chico Mendes e tantas outras pessoas que entenderam o kairós de Deus e se dedicaram a construir os alicerces para um outro mundo possível.

    No ofertório da celebração, um cacho de Açaí, um símbolo da vida e da cultura paraense foi trazido ao altar como que significando a dor e o sangue de tantos seguidores de Cristo que nos atencederam, mas também a energia e o alento para nossa geração e as gerações futuras.

    Ao estilo bem paraense, todos se confraternizaram num delicioso almoço preparado pela comunidade São João Batista ao qual não faltou inclusive até um karaokê.

    Marina Silva

    À tarde, realizou-se uma oficina sobre Fé e Política, patrocinada em conjunto pela Juventude do CLAI, associada com outras organizações ecumênicas de Juventude da América Latina. A senadora Marina Silva, ex-ministra do Meio Ambiente, integrou a mesa e sua fala impressionou a todos pela enorme paixão com que compartilhou a sua experiência no Ministério e como isso representa assumir como cristã o dever de preservar a criação de Deus. Comparando, com uma feliz coincidência com o texto do Evangelho da manhã, o chamado dos discípulos, a senadora falou que muito mais importante do que apenas ensinar é fazer. E o fazer com Amor. Usando a metáfora da estória da Bela e a Fera, a senadora pontuou: somente o amor pode transformar a vida. A Amazônia não deve apenas ser uma região desejável por suas belezas. É preciso amar a Amazônia para continuar tornando-a desejável.

    Enfim, um dia inesquecível para nossos irmãos e irmãs de Belém. Uma junção perfeita de Açai, Amor e Kairós.

    -

    Rev. Cônego Francisco de Assis da Silva

    Secretário Geral da IEAB

     
  • SNIEAB 19:24 on 24/01/2009 Permalink  

    Rito do Corpo: uma abordagem do Fórum Mundial de Teologia e Libertação 

    Aproximadamente mil participantes inscritos no Fórum Mundial de Teologia e Libertação tiveram hoje o terceiro dia temático do evento onde se abordou o Rito do Corpo. Este foi o terceiro segmento dos três ritos que compuseram o desenvolvimento temático, começando com o Rito da Água e continuando no dia de ontem com o Rito da Terra.

    A mesa de hoje contou com a participação de conferencistas de diferentes contextos e perspectivas. A teóloga coreana Chung Hyun Kyung, a teóloga norte-americana Mary Hunt e o filósofo francês Michel Dubois apresentaram desafiadoras teses ao plenário chamando a atenção para a construção das corporeidades nas diversas sociedades e suas implicações na construção de modelos relacionais entre as pessoas. Não faltaram como ingredientes dessas abordagens a questão política, a questão cultural e a questão da sexualidade.

     

    mesa do fmtl

     

    Todos foram unânimes em reconhecer que a corporalidade é resultado de construções culturais que muitas vezes destroem os fundamentos ontológicos do próprio ser corpo. O corpo, de acordo com um dos aportes apresentados tem sua origem no próprio Deus e por isso é extensão divina que deve ser respeitado, amado e considerado para além de quaisquer outros interesses.

    A conjuntura de um mundo que está posto em divisões de classe e de sexualidades precisa ser enfrentada com uma percepção de que a destruição de corpos pela guerra, pela fome ou pela exploração é a destruição do próprio mundo.

    O Fórum prossegue ainda hoje com uma mesa de debates que abordará a questão Amazônica e que contará com a presença de Marina Silva e o teólogo Leonardo Boff. 

    Gente de praticamente todos os continentes estão participando do Fórum onde é possível se ver expressões tão diversas culturalmente quanto teológicamente. Neste universo de tanta diversidade há no entanto um grande consenso: a de que é possível construir-se alternativas para o mundo atual que não somente destrói os corpos de seres humanos, mas também o grande corpo do próprio Deus que é a nossa Terra.

    A IEAB está representada no Fórum através do bispo Sebastião Armando, Madalena Soares e Rejane Costa. Na preparação do evento e no apoio e interação com o mesmo temos a maciça participação da Diocese Anglicana da Amazônia.

    -

    Rev. Cônego Francisco de Assis da Silva

    Secretário Geral da IEAB

     
  • SNIEAB 21:18 on 22/01/2009 Permalink  

    IEAB marcará presença no Fórum Social Mundial 

    Ao lado de importantes segmentos ecumênicos e interreligiosos, a IEAB marcará presença nos Fóruns Social Mundial e de Teologia e Libertação que acontecerão em Belém do Pará nestes dias.

    Nossa Igreja é parte do que se chama de Coalizão Ecumênica que conta com a participação de organismos internacionais como o Conselho Mundial de Igrejas-CMI, Conselho Latinoamericano de Igrejas-CLAI, Conselho Nacional de Igrejas Cristãs-CONIC e agências ecumênicas internacionais.

    Mais de uma centena de anglicanos – incluindo os nossos irmãos e irmãs da Diocese da Amazônia – estarão interagindo em grupos de reflexão, mesas de debate e atividades diversas em torno dos temas que serão discutidos neste mega evento da sociedade internacional.

    Bispos, clérigos e leigos de várias partes do Brasil estarão irmanados a inúmeras organizações sociais e religiosas do mundo inteiro para discutirem alternativas de convivência política, econômica e social no Planeta.

    A primeira grande atividade que começou ontem, 21 de janeiro, é o Fórum Mundial de Teologia e Libertação. O Fórum tem por finalidade refletir o papel da teologia na construção de um mundo socialmente justo, economicamente solidário e ambientalmente suatentável. 

    No dia 27 de janeiro terá inicio o Fórum Social Mundial. Nele serão discutidas as alternativas contra a devastação do meio ambiente e a busca de alternativas políticas e econômicas que reduzam as grandes disparidades entre ricos e pobres, oportunizando a construção de um outro mundo possível.

    Estaremos em Belém junto com nosso Primaz e outras lideranças da Igreja informando diariamente os principais destaques desse evento. Assim como fizemos em Lambeth durante a Conferência, tentaremos informar a evolução dos dois Fóruns e as principais atividades em que a presença de nossa Igreja e dos companheiros ecumênicos seja visível.

    Belém espera receber cerca de 100 mil pessoas do mundo inteiro durante estes dias e, assim como o foi em Porto Alegre nas edições anteriores do Fórum, esperamos  sensibilizar a opinião pública para os graves desafios que se impõem na atual conjuntura da sociedade brasileira, latinoamericana e mundial.

    -

    Rev. Cônego Francisco de Assis da Silva

    Secretário Geral da IEAB

     
c
escrever um novo post
j
próximo post/próximo comentário
k
post anterior/comentário anterior
r
responder
e
editar
o
mostrar/esconder comentários
t
topo
l
go to login
h
show/hide help
esc
cancelar