Justiça Frustra Novamente Tentativa de Robinson Cavalcanti Prejudicar a DAR e a IEAB

Segundo o boletim de notícias da Diocese Anglicana do Recife, a 31a Vara Civil do Recife, no dia 12 de setembro p.p, rejeitou o pedido de suspensão do XXIV Concílio Diocesano, convocado pela autoridade eclesiástica da DAR, Dom Filadelfo de Oliveira Neto, feito pelo auto-denominado bispo diocesano Sr. Robinson Cavalcanti, que se esqueceu de informar ao juiz que ele tinha sido deposto de suas sagradas ordens pela Igreja Episcopal Anglicana do Brasil e de que ele não é mais o representante da Diocese Anglicana do Recife.

Segundo o Dr. Senomar Teixeira, advogado e membro da IEAB no Recife, essa não foi a primeira vez que Cavalcanti apela à Justiça (e perde) no sentido de obstruir a ação legítima da Igreja Brasileira de seguir com suas atividades. Referindo-se à recente tentativa, disse que ele (Robinson Cavalcanti) agiu com má fé e falsidade ideológica, omitindo de mencionar à Corte as decisões que o depuseram de suas funções episcopais. Bispo Filadelfo Neto é a autoridade diocesana legítima e tem poder de convocar um Concílio. Todas decisões, reformas canônicas e de ordenações que aconteceram naquele Concílio, no final de semana passado, estão confirmadas.

A seguir, o texto integral que foi enviado pela Diocese Anglicana do Recife à Secretaria Geral, em versões português e inglês:

Notícias da Diocese Anglicana do Recife

A Corte agiu com agilidade. Em uma decisão expedida por um juiz da 31a Vara Civil do Recife, o pedido apresentado por Robinson Cavalcanti com a intenção de suspender o XXIV Concílio da Diocese Anglicana do Recife, foi releitado na segunda-feira passada, dia 12 de setembro. Cavalcanti esqueceu de informar ao juiz que ele tinha sido deposto como bispo da Igreja Episcopal Anglicana do Brasil e desde então não representava a Diocese Anglicana do Recife.

Essa não é a primeira vez que o auto-intitulado bispo apela à Justiça no sentido de obstruir a Igreja Brasileira de seguir com suas atividades. Robinson deixou de mencionar ao magistrado as precedentes e preventivas decisões judiciais do juiz distrital da 16a jurisdição da capital, na ação judicial do processos número 001.2005.004782-6, e do Juiz da Suprema Corte da 4a Vara Civil do Tribunal de Justiça de Pernambuco, Juiz Eloy DAlmeida Lins, na ação judicial registrada da apelação número 122540-5, que atesta sua suspensão e sua deposição das suas funções episcopais e de representante da Diocese Anglicana do Recife.

Segundo Rev. Senomar Teixeira, membro e advogado da IEAB, ele (Robinson Cavalcanti agiu com má fé e falsidade ideológica, omitindo de mencionar à Corte as decisões que o depuseram de suas funções episcopais. Bispo Filadelfo Neto é a autoridade diocesana legítima e tem poder de convocar um Concílio. Todas decisões, reformas canônicas e de ordenações que aconteceram naquele Concílio, no final de semana passado, estão confirmadas.

Fica claro para a Igreja e para a Justiça que Robinson não é mais um bispo anglicano. Ele não representa a Igreja Anglicana e, tendo perdido todas as suas prerrogativas canônicas, por ela foi deposto de suas sagradas ordens. Ao participar de atividades apresentando-se como um bispo da Igreja Anglicana do Recife, ele está tentando enganar aqueles que desconhecem os fatos e as decisões da IEAB, que têm sido reconhecidas pela Justiça brasileira.

-

Christina Takatsu Winnischofer

Secretária Geral da IEAB