Delegação do ACC à 49ª Sessão da Comissão das Nações Unidas sobre o Status da Mulher 

A unidade da Comunhão Anglicana foi demonstrada positivamente quando 41 mulheres de 27 províncias reuniram-se como delegação do Conselho Consultivo Anglicano para a 49ª Sessão da Comissão das Nações Unidas sobre o status da Mulher, reunida em Nova Iorque, de 28 de fevereiro a 11 de março de 2005. Com outros, nós examinamos o tema do Plano de Ação de Pequim (PAP) de 1995, para avaliar a implementação do mesmo e dos resultados apresentados na sessão especial da Assembléia-Geral chamada Mulheres 2000: Igualdade de gênero, desenvolvimento e paz para o século 21.

Como nós vimos para escutarmos umas às outras, com honestidade e confiança, desenvolvemos um grande entendimento do Corpo de Cristo, reconhecendo o sofrimento e a dor, esperanças e alegrias das mulheres e crianças em toda a Comunhão, e com uma só voz endossamos a reafirmação do PAP 1995.

Durante essas duas semanas de encontro, nós refletimos sobre os 12 itens do PAP, baseadas num questionário que circulou com antecedência. Em pequenos grupos de discussão e interesses regionais, as delegadas estiveram aptas a identificar os problemas mais urgentes das mulheres. A delegação destacou quatros pontos de maior importância que dificultam o desenvolvimento mundial: pobreza, educação fraca, violência e falta de acesso a um bom e acessível plano cuidado médico. Esses pontos serviram de base para consultas, que permitiram às delegadas discernirem o chamado de Deus para o seu compromisso pessoal e ação, como parte da ação da Igreja na missão de Deus para o mundo.

Enquanto muitos governos reconhecem em enfrentar e tentar implementar o PAP, essa delegação pede a continuação de ações, como aumentar os recursos, tanto humanos como financeiros, para assegurar resultados concretos, através de programas de educação e legislação.

Nós pedimos ao Conselho Consultivo Anglicano para confirmar os avanços que nossos governos têm realizado com respeito ao status da mulher e encorajá-los para continuar em seu trabalho. Nós recomendamos firmemente que o Conselho Consultivo Anglicano continue a confirmar a Rede Internacional Anglicana das Mulheres (IAWN) e que novamente adote a meta de representação feminina de 30% nas decisões feitas pelos órgãos, em todos os níveis da nossa Comunhão Anglicana. Nós pedimos, ainda, ao Conselho Consultivo Anglicano, para elevar para 50% a representação feminina até 2010, para refletir com justiça a atual configuração da nossa Comunhão Anglicana Global.

Neste ano, 27 províncias responderam ao desafio de serem representadas na Comissão das Nações Unidas sobre o status da Mulher. Estamos muito agradecidas a todos e todas que fizeram o possível para financiar e dar seu tempo para este evento. Nós pedimos ao Conselho Consultivo Anglicano que encorajem aquelas províncias que não foram representadas nesse ano a demonstrarem sua solidariedade com as mulheres da Comunhão Anglicana, enviando delegadas para a próxima vez, na 50ª sessão da Comissão das Nações Unidas sobre o status da Mulher.

Nós desejamos um tempo no qual a Comunhão Anglicana, como parte do Corpo de Cristo, traga equilíbrio às vozes femininas e masculinas e, então, reflita a verdade e a natureza inclusiva de Deus.

9 de março de 2005.

Fonte: Serviço de Notícias da Comunhão Anglicana (ACNS)  Boletim nº 3955

Foto: Delegadas anglicanas (Rosenthal/AnglicanEpiscopalWorld) – A delegação contou com a presença da Secretária Geral da IEAB, Sra. Christina Takatsu Winnischofer.

-

Christina Takatsu Winnischofer

Secretária Geral da IEAB